domingo, 6 de novembro de 2011

Toque vaginal: faça você mesma!

Na Foto Andreza que se tocava e me avisava o quanto Alice estava perto de nascer!
Achei esse post por acaso no Facebook, e achei muito interessante justamente porque quando eu estava grávida, realizava exame de toque em casa, no chuveiro. E depois disso virou praticamente uma rotina, diariamente no banho na higiene íntima sinto o colo do útero e suas alterações, sei quando estou ovulando, quando estou quase menstruando etc. Depois no curso Téc Enfermagem aprendi a realizar o exame mais complexo por pura curiosidade, já que não basta saber apenas a dilatação e sim a posição da cabeça do bebê, alterações no colo, posição da placenta e/ou bolsa, posição do bebê etc. No período expulsivo no hospital eu e médicos parceiros sempre incentivamos a parturiente a tocar a vagina e sentir a cabeça do bebê, é uma experiência muito emocionante para elas. Apenas uma dica a quem quiser tentar em casa: use uma luva de procedimento, mesmo com a limpeza das mãos, bactérias podem se alojar embaixo das unhas aumentando risco de infecções.
 
O post de hoje foi um pedido da Flaviana, que gostaria de aprender a fazer o toque vaginal para saber a progressão da dilatação durante o trabalho de parto.

Primeiro quero ressaltar que toda mulher pode e deve se tocar! E quando digo se tocar, digo em sentido amplo, em todas as fases da vida, para conhecer seu corpo, descobrir seu sexo, se dar prazer, reconhecer seu ciclo e suas mudanças hormonais.

O toque vaginal com o intuito de avaliar o colo do útero pode ser aprendido antes da gestação, durante a gestação, ou até mesmo durante o trabalho de parto!

Perceber as modificações que ocorrem no colo uterino e no muco cervical durante o ciclo menstrual, pode ajudar a mulher a distinguir seus dias férteis.

Conhecer seu colo do útero durante a gestação permite identificar as mudanças que sinalizam o amadurecimento e a dilatação cervical, que algumas vezes precedem o trabalho de parto e outras vezes só acontecem depois de iniciado o trabalho de parto.

Então vamos lá, mãos à obra!

As instruções iniciais são exatamente as mesmas da massagem perineal e também pode ser feito em conjunto com seu parceiro, que ao aprender o toque vaginal poderá partilhar com você outras percepções.

- Encontre um lugar onde você possa ficar sozinha, ou com seu parceiro, ininterruptamente.
- Ache uma posição confortável e que você tenha maior alcance a sua vagina. Uma dica é fazer flexão de tronco (curvar-se a frente ou ficar de cócoras), pois diminui a distância entre sua mão e sua vagina.
- Lave suas mãos e peça ao seu companheiro para fazer o mesmo, caso ele vá lhe ajudar.
- Lubrifique seu dedo indicador e médio. Você pode usar vários tipos de lubrificantes: gel a base de água, óleos vegetais, óleos minerais, etc.
- Coloque seus dois dedos dentro vagina e devagar vá deslizando-os em direção ao fundo da vagina, até encontrar o colo do útero.


- O colo do útero é uma estrutura proeminente e arredondada, com consistência parecida com a ponta do seu nariz. Geralmente, encontra-se em posição posterior, isto é, voltado para trás, em direção ao ânus. Em seu centro pode ser sentido um pequeno buraquinho, que permanece fechado durante toda a gestação (imagem acima).
- Durante o trabalho de parto o colo uterino se centraliza em relação ao canal de parto (vagina) e sofre duas modificações: o esvaecimento e a dilatação.
- O esvaecimento e a dilatação são independentes entre si, um pode ocorrer antes do outro ou ambos podem ocorrer simultaneamente.
- O esvaecimento ou amadurecimento ou apagamento cervical começa com a mudança de consistência, o colo uterino se torna macio, parecido com seu lábio. A seguir vai encurtando, se tornando menos proeminente, até ficar completamente plano e bem fino como uma membrana.


- A dilatação cervical é a abertura do colo do útero (imagem acima). O pequeno buraquinho no centro do colo começa a se abrir e conforme vai se abrindo pode ser medida a dilatação introduzindo inicialmente a ponta um dedo (± 1cm). Com a evolução da dilatação é possível colocar os dois dedos e a partir daí se mede sempre com esses dois dedos. Ao colocar os dois dedos você deverá abri-los o máximo possível e tentar perceber exatamente a posição/distância em que eles ficaram. Ao retirar os dedos, reproduza a posição/distância percebida e meça numa régua quantos centímetros tem da parte externa do dedo indicador até a parte externa do dedo médio (é medido por fora dos dedos). Deve ser medido numa régua, pois a largura dos dedos varia de pessoa para pessoa.
- A dilatação total é padronizada como 10cm. Porém na prática, para que haja o parto, considera-se a dilatação total quando no toque não se sente mais nada do colo, apenas a cabeça do bebê.
- Se a dilatação começar antes do colo se apagar, você poderá sentir a proeminência do colo, isso é chamado de rebordo de colo. É uma situação comum, que geralmente se resolve sozinha com o avanço do trabalho de parto.
- É comum o esvaecimento e/ou dilatação começar dias ou até mesmo semanas antes do parto, sem que isso signifique trabalho de parto iminente.
- Como é comum também o trabalho de parto se iniciar sem nenhuma mudança no colo e todo o processo de esvaecimento e dilatação ocorrerem durante o mesmo.

Por fim, cabe lembrar que cada mulher e cada parto são únicos, e que conhecer a dilatação não quer dizer muita coisa sobre a duração do trabalho de parto. Digo isso, pois tem mulheres que ficam doze horas para dilatar 2cm e depois dilatam os outros 8cm que faltam em duas horas, como tem também mulheres que após completarem a dilatação total ficam muito mais de duas horas até sentir os puxos do expulsivo – esses exemplos são para mostrar que cada caso é um caso, não tem fórmula, receita, padrão, tudo é relativo!

http://www.gestarpariramar.com/2010/11/toque-vaginal-faca-voce-mesma.html

2 comentários:

  1. Cris, Parabéns pelo lindo blog e pelo fantástico trabalho que você faz. Amei vc colocar as fotos e fazer um depoimento do parto. Muito legal mesmo. Dá pra sentir o carinho que você tem pelas suas doulandas e isso nos toca mesmo!
    Sou de Brasília, tive meu primeiro baby com doula e estou esperando o segundo, que com certeza terá a participação de uma doula també.

    Parabéns pelo seu trabalho. Que ele seja sempre frutífero! Beijos Rosiane

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, Cris e é a mais pura verdade!A dilatação não tem prazo pré estabelecido, acontece no seu devido tempo!!Bjão!!!

    ResponderExcluir