quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Qual a necessidade do acesso venoso no trabalho de parto?


Uma gestante que mora nos EUA e queria que eu fosse em Dezembro acompanhar o parto dela, me fez uma pergunta hoje que valeu um post: "Cris, qual a necessidade do acesso durante o trabalho de parto?"
Para quem não sabe, o típico parto nos EUA é o parto normal, porém com várias intervenções: ocitocina ( acelera o parto), parto deitada ( péssima posição), monitor fetal ( cardiotoco), ruptura artificial das membranas (bolsa) e o soro que é colocado assim que a parturiente é internada.


A necessidade de se ter um acesso venoso é apenas quando necessário administrar fluido ( soro) e/ou medicamentos, manter uma mulher com soro fisiológico durante todo o trabalho de parto é incômodo e desnecessário ao meu ver. Mas por quê fazem isso? Porque se precisar de uma ocitocina, analgesia, cesárea o acesso já está ali. Mas gente, e SE é apenas uma possibilidade né? E SE precisar de uma cesárea, enquanto é preparada a bandeja do anestesista já é realizado o acesso, que é rápido e super fácil de fazer
( posso afirmar porque já fiz vários na vida!)



Na minha experiência como Doula, jamais deixamos a parturiente com o soro, podemos deixar um acesso salinizado, para quem não sabe é aquela parte que fica na mão sem mais nada, no caso de streptococo + por exemplo, e isso apenas se a parturiente não quiser ser furada novamente. Porque se ela preferir que tirem tudo, é retirado e puncionado novamente se necessário.


E qual o benefício de não ter um acesso venoso?
Maior mobilidade, a parturiente tem liberdade de movimentos, caminhar, virar na posição que quiser, ir para o chuveiro, tudo sem se preocupar em carregar o soro onde ela for, que chamamos de ''cachorrinho'' que é o suporte e ferro que é bem chatinho de carregar.
Além disso algumas mulheres tem uma experiência ruim, pois a veia pode estourar, o abocath ( aquela parte de borracha que fica na veia) pode sair e o líquido extravasa causando dor e incômodo, além de que algumas pessoas passam mal quando aquele sangue volta.


Então, converse com o seu obstetra sobre a necessidade de manter um acesso, suas preferências, e o mesmo serve para o plantonista da maternidade. Não custa nada perguntar, e muitos médicos atendem ao pedido das pacientes e só indicam o procedimento se realmente necessário, e não de rotina!

Cris De Melo
Téc. Enfermagem

& Doula!

Um comentário:

  1. Otimo, Cris!!Bom saber disso!!Estarei atenta e se for preciso, quastionarei realmente a sua necessidade!

    ResponderExcluir