quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Mitos e verdades do pós-parto: saiba o que você pode (e o que não deve) fazer!



Por Renata Demôro

É normal sangrar? Posso carregar peso? Após dar à luz, é preciso tomar alguns cuidados para preservar a saúde da mãe e do bebê. Mas você sabe o que realmente é permitido - ou proibido - no pós-parto? A seguir confira as respostas da obstetra Angélica Miranda e da fisioterapeuta Patrícia Marques, coordenadora do núcleo gestante doEspaço Stella Torreão, no Rio de Janeiro, para dúvidas frequentes.

Amamentar emagrece
Verdade. “O corpo da mulher gasta cerca de 700 kcal para produzir um litro de leite”, explica a ginecologista e obstetra Angélica Miranda. Patrícia Marques lembra que os exercícios também são necessários para perder peso de forma gradual e saudável. O ideal é praticar atividades físicas durante a gestação. “Mulheres que se exercitavam durante a gravidez tendem a perder os quilos extras mais rapidamente”, complementa a fisioterapeuta.

É possível engravidar no pós-parto
Verdade. Algumas mulheres ovulam no pós-parto. Mesmo com a ausência de menstruação, que costuma retornar depois de 7 a 9 semanas, é importante buscar um método contraceptivo adequado. “Somente o ginecologista poderá avaliar o caso e prescrever o melhor método anticoncepcional para cada mulher. No pós-parto, mulheres que amamentam diversas vezes ao dia não costumam ovular, mas o fato não pode ser considerado um método para prevenir uma nova gravidez”, explica a ginecologista e obstetra Angélica Miranda.

O sangramento no pós-parto é normal
Verdade. De acordo com a ginecologista e obstetra Angélica Miranda, “existe um fluxo de sangue contínuo e intenso, com a presença de coágulos, que tende a desaparecer depois de quatro a seis semanas. Vale lembrar que a amamentação, com a sucção dos seios pelo bebê, ajuda a diminuir o sangramento.

Após o parto devo continuar seguindo uma alimentação equilibrada
Verdade. Mulheres que estão amamentando devem ter atenção redobrada com a alimentação, já que determinados alimentos podem afetar o recém-nascido. “É preciso aumentar a ingestão de água, essencial para que o organismo produza o leite. O cardápio deve conter porções de frutas, legumes e verduras, carnes magras, peixes, claras cozidas, arroz e pão integrais. Recomendo evitar condimentos em excesso, que podem causar gases no bebê”, diz a ginecologista e obstetra Angélica Miranda.

Mulheres no pós-parto não devem praticar exercícios físicos
Mito. “A mulher pode praticar exercícios leves 6 semanas após dar à luz. O ideal é que ela não ultrapasse 60 a 70% da atividade cardíaca máxima. Ela estará na intensidade recomendada se conseguir conversar enquanto caminha ”, recomenda a ginecologista e obstetra Angélica Miranda. Além de caminhada, Patrícia Marques recomenda hidroginástica, ioga e exercícios moderados de alongamento. “Atletas ou mulheres que praticam atividades de alto rendimento, como maratonas, devem aguardar 6 meses para retomar os treinos”, completa a fisioterapeuta. 

A prisão de ventre no pós-parto é normal
Verdade. “Para evitar dores no abdômen e na cicatriz do períneo, ao fazer força para evacuar, é preciso aumentar o consumo de água e fibras, encontradas em frutas e alimentos integrais”, diz Angélica Miranda.

No pós-parto as relações sexuais estão proibidas
Mito. “Após o resguardo, que dura de 30 a 40 dias, é possível retomar as relações sexuais com o parceiro, lembrando de perceber os limites do próprio corpo, que ainda está retornando a sua forma”, diz Angélica Miranda.

Após o parto normal, os pontos da episiotomia (corte no períneo para facilitar a passagem do bebê) podem inflamar
Verdade. Angélica Miranda explica que hábitos corretos de higiene evitam o problema. “É normal sentir certo incômodo no local, que pode ser amenizado com aplicações de bolsa de gelo ou sprays específicos, prescritos pelo ginecologista ou obstetra. Se houver inflamação, o médico indicará o uso de antibióticos”, orienta a ginecologista.

No pós-parto a mulher está proibida de carregar peso
Verdade. “Independente do tipo de parto, nos dias seguintes as mães devem evitar dirigir, segurar sacolas de supermercado repletas de compras e segurar o filho mais velho no colo. Neste momento, as atividades devem estar relacionadas com a saúde e bem-estar do recém-nascido e da própria mulher”, diz a fisioterapeuta Patrícia Marques. Ao longo das semanas é possível retornar às tarefas cotidianas gradativamente. A ginecologista Angélica Marques lembra que mulheres submetidas a cesariana devem evitar grandes esforços pelo período de 1 mês. 

No pós-parto é preciso fazer uso de sabonetes especiais para a higiene íntima
Mito. A ginecologista Angélica Miranda recomenda o uso de sabonete neutro. “Também é interessante fazer uma boa higiene após a evacuação, principalmente quando há pontos no períneo”, complementa a médica.

http://avalarini.blogspot.com/2011/10/mitos-e-verdades-do-pos-parto-saiba-o.html
Fonte: 

Um comentário: