segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Entrevista com a Mônica mamãe da Maria Clara!

Maria Clara, hoje com 5 meses. Nascida na água!

1- Por quê você decidiu ter uma Doula?
Tinha muito medo do parto normal e não sabia o que esperar. Geralmente quando contamos que pretendemos seguir o parto normal somos desencorajadas, acredito que pela falta de informação da maioria das pessoas. Eu não queria desistir e quando soube do trabalho da doula vi que ali estaria a minha solução, uma pessoa que sabia o que fazer, o que estaria por vir e que me deixaria tranqüila, me prepararia para o dia tão esperado.

2- Como descobriu que era uma doula e como escolheu a sua?
Minha primeira médica, que me acompanhou nos primeiros meses da gravidez foi a primeira pessoa que me falou sobre este trabalho. Inclusive foi ela que fez ver como seria bom ter uma pessoa assim ao meu lado. Cheguei a pesquisar doulas, através de algumas indicações, porém estava desanimada pois ainda não tinha sentido a segurança e tranqüilidade que precisava. Então, acabei tendo a indicação da Cris através do pessoal do BCU. Eles sabiam que eu queria parto normal e acabaram me passando o nome da Cris. Fizemos algumas conversar por email mesmo, entrei no site e senti que ali estava tudo que precisava. Fiquei muito animada e quando a conheci, não precisei pensar mais. Estava decidido.

3- Como foi ter uma doula no parto?
Para mim foi importantíssimo. Meu maior medo era da exposição. Tinha muito medo de ter que passar pelo parto com várias pessoas que eu não conhecia e que não me conheciam. Eu sabia que teria que trabalhar bastante e tinha certeza que muitas pessoas por lá, dando palpites, iria me atrapalhar. Tanto a Cris quanto o Drº Fernando e meu marido sabiam disto e respeitaram cada decisão minha. Eles sabiam principalmente o que eu não queria. Eu confiava muito no meu médico, porém a presença da Cris foi muito importante para me dar segurança e me indicar o caminho certo. Para mim ela foi a tranqüilidade que eu precisava.

4- Como foi o trabalho de parto e parto? Se pudesse voltar atrás,faria
algo diferente? 
O trabalho de parto foi muito tranqüilo. Posso dizer que instinto é algo que não podemos negar jamais. Parecia que eu sabia tudo que deveria fazer. Fiquei calma e fui evoluindo passo a passo. A Cris me ensinou a escutar meu corpo e fazer o que ele pedia. Então me concentrei muito, praticamente meditei durante o trabalho de parto. Tinha visto sobre isto num vídeo indicado pela Cris. Foi ótimo. Eu faria tudo novamente, sem dúvida nenhuma. Talvez, a única coisa que eu acredito que poderia ter sido melhor foi meu período expulsivo. Não me preparei tanto para isto, confesso que fiquei preocupada com as contrações e achei que esta fase final seria a mais fácil. Achei bem trabalhosa e tive um pouco de dificuldade em relaxar e respirar corretamente. Felizmente no final deu tudo certo e a Maria Clara veio ao mundo linda e perfeita. 

5- Você acredita que o parto tem alguma relação com a personalidade do bebê?
Não acredito que tenha relação com a personalidade, porém acredito que o parto normal constrói uma relação muito íntima entre o bebê e a mãe. Os dois trabalharam muito e juntos para vir ao mundo. Acredito sim na ligação que se constrói.

6- No próximo filho, pretende ter parto normal?
Com certeza.

7- O que você gostaria de dizer aos casais a espera de um bebê? Dicas, conselhos entre outros.
Leiam, se informem, sobre tudo. Eu tinha muito medo mesmo, não sabia muita coisa, mas fui pesquisando, vendo vídeos, relatos e fui me preparando para o parto normal, que era o que eu queria. Acho que cada um conhece seu corpo, seus limites, e devemos respeitar as decisões individuais. Porém, uma escolha deve ser feita após muita informação. Existe muita bobagem sendo dita. Procurem pessoas que confiam e que acompanharão este momento. O importante é cada um se sentir bem dentro daquilo que se propõe a fazer e sempre colocar de forma muito clara tudo aquilo que deseja, sente, necessita, etc, ao seu médico e à Doula.

8- Como é a vida após a chegada do bebê?
A vida muda bastante. Ele passa a ditar o ritmo, as prioridades o nosso dia a dia. É uma vida que se constrói junto com o bebê, a cada dia. Cada descoberta, coisas que ele gosta, não gosta, tudo isso o tempo se encarrega. Mas, mesmo naqueles dias duros, de pouco sono, muito choro, um simples sorriso, uma gargalhadinha que ele dá para você, faz o seu dia se transformar. É muito bom!

9- Você ficou satisfeita com o trabalho da doula e com o parto?
Sim, fiquei muito satisfeita. Faria tudo novamente. Passar pelo parto normal, natural, me transformou.

10- Deixe um recado:
Gostaria de colocar para as mulheres que tem medo sobre o parto normal, ou que ouviram histórias horrorosas sobre ele, tentem ir mais a fundo no assunto, leiam mais, pesquisem... Geralmente quem fala horrores sobre o parto normal foi quem acabou fazendo uma cesariana ou ouviu falar de alguém que fez. Aquelas horas de trabalho são tão intensas, tão cheias de energia, afeto, carinho, que superam qualquer dor. A relação que se constrói com o bebê, a comunicação instintiva durante o parto, é uma experiência única e maravilhosa. O bebê também batalha, também dá duro para vir ao mundo. É uma parceria de muito amor.
Conversando com meu marido sobre o nosso parto, ele me falou que depois do nascimento da Maria Clara, ter participado de tudo, fez com que ele me visse de uma forma muito mais especial. Nossa relação se tornou mais sólida, ficamos mais unidos e muito mais felizes.

Mônica, fiquei sinceramente emocionada ao ler a maneira que você descreveu a experiência do parto, porque é assim que ela deve ser. A mulher deve deixar que o instinto tome conta, nem sempre será fácil, mas é assim mesmo. Você batalha, o bebê também, e o resultado vale muito a pena. Muito obrigada pelo carinho, parabéns e contem comigo, sempre!
Cris De Melo
Doula!

Um comentário: