segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Radicalismo? Estou fora!

Quando eu tive a Sofia era jovem, 18 anos e inexperiente com esse mundo da maternidade. Como muitas pessoas, eu era influenciada pela família em muitas decisões, e ouvia demais os conselhos das outras pessoas.
Nessa época eu também procurava por apoio e ajuda em comunidades do Orkut ( nem sabia como usar o Facebook), e lembro que encontrei pessoas maravilhosas e pessoas que são chamadas de ''radicais''.

Mas por quê o apelido? Até hoje muitas pessoas me contam que tem medo do parto natural pelos profissionais quererem forçar o parto, na verdade não é forçar o parto e sim negligência e imprudência. Graças a Deus todos os profissionais que eu recomendo são totalmente confiáveis e eu sei que jamais forçariam alguma coisa.
Lembro que eu me ofendia muito com algumas pessoas nessa época, primeiro por não ter digerido a minha cesárea ( aceitado ela realmente), segundo porque eu achava algumas pessoas muito arrogantes, como se fossem elas sempre as pessoas certas. Sabe aquela coisa 1+1=2?Pessoas totalmente contra o uso da chupeta, mas será que elas sabem que a chupeta é recomendada para diminuir os riscos de morte súbita? Viu como é uma coisa de dois lados?
Pessoas totalmente contra o Leite Artificial, mas depois da mãe tentar de todos os jeitos corrigir a amamentação, aumentar a produção, vai deixar o bebê passando fome?

Eu ODEIO até hoje radicalismo, primeiro porque por mais que existam estudos que comprovem, por mais que nós possamos aconselhar algo a alguém, nem tudo o que é bom para mim vai ser bom pra outra mulher.


Hoje uma Doulanda veio aqui em casa, vai parir em Novembro e comentou que foi na consulta com um obstetra maravilhoso aqui de Floripa, que disse para ela coisas que ela achou totalmente certo.
Ele comentou que ela vai ouvir MUITOS conselhos, de como alimentar uma criança, de como fazê-la dormir, de como educá-la entre outros. Mas que ela não deve ouvir esses conselhos, e sim confiar no próprio instinto, pois cada mulher é cada mulher, cada parto é cada parto e cada filho é um filho.

Não adianta querer forçar alguém a a ter um parto natural se ela não o deseja, podemos informar, conscientizar e apoiar ( ou não!) mas ninguém vai mudar a cabeça dela, se ela não desejar.
Não adianta querer obrigar uma mulher a amamentar se ela NÃO quer amamentar, algumas pessoas acham difícil, outras tem preguiça, outras já não se sentem a vontade com a amamentação. Eu acho lindo, maravilhoso, amamentei por 1 ano e 6 meses, mas EU sei que foi o melhor para mim e pra Sofia.

Poderia ter amamentando mais? Sim, mas eu já não me sentia mais a vontade com a amamentação. Deveria eu ser obrigada a amamentar porque outras pessoas dizem que devo? A Sofia começou a comer com 6 meses, porque eu concordo com as recomendações da OMS sobre aleitamento exclusivo, eu fazia papinhas nutritivas para ela, e outras vezes ela comeu papinhas da Nestlé também. Não é bom? Para o seu filho ou para o meu?
Apesar de ser Doula e ser 100% a favor do Parto Natural e 100% a favor da Amamentação exclusiva e prolongada, eu acho que essas coisas devem acontecer se for para o bem estar de ambos. Não adianta fazer por fazer, quantas mães dão aulas de como educar um filho e mal cuidam deles? Quantas falam de papinhas orgânicas e não fazem?

É outra coisa que me faz lembrar o Michel Odent, nós, grupos a favor da humanização no parto erramos muito, muitas vezes. Querendo forçar a presença do Pai, achando que o parto tem que se filmado, entre outras coisas. Eu também não sou dona da razão, criei a minha filha errando muito com certeza, como toda mulher, mas sempre tentei fazer o melhor para nós duas. Estou sempre tentando evoluir, aliás acho que é para isso que nós seres humanos devemos fazer na terra. Mas deixo bem claro aqui que sou TOTALMENTE CONTRA RADICALISMOS!

Aliás todas as pessoas que tentaram impor algo não conseguiram nada comigo, enquanto outras as vezes falando a mesma coisa, mas com delicadeza, com respeito me fizeram repensar assuntos.

Então meu conselho a todas as mães com dúvidas, leiam, informem-se, procurem textos confiáveis e escolham o que é melhor para VOCÊS, usem o INSTINTO materno, que todas nós temos!



Decisão baseada na informação e não na ignorância.

Cris De Melo


Doula!

4 comentários:

  1. Nossa Cris, é por essas e outras que te admiro!

    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Cris... voce falou uma coisa muito certa! As decisoes devem ser feitas com informacao e consciencia, mas tambem devem ser assumidas. Irrito-me profundamente com aquelas que escolheram a cesarea desnecessariamente e depois vem querer colocar a culpa em outra pessoa. Sim, existem aquelas que foram "enganadas" a se submeterem a cesarea sem razoes reais. Eu sei disso, pois fui uma delas. No entanto, o que me faltou foi a informacao e a forca para defender o meu direito de parir. Hoje eu entendo diferente. Assim como voce, me ofendia profundamente com as pessoas que se quer questionavam minha cesarea (que ateh entao eu achava que tinha sido justificada). Assim como voce, eu nao tinha digerido essa parte. Com a amamentacao, eu ouvi muitos conselhos, mas foi seguindo o meu instinto que eu encontrei paz naquilo que fazia pro meu filho. De qualquer forma, eh bem como voce disse: pode informar, nao se pode eh querer forcar ideias goela abaixo. Afinal, ninguem gosta de xiitas em assunto algum.
    Belo texto, como sempre!
    Dani do Kiyo - prima da Ju do Caetano...

    ResponderExcluir
  3. Oi Dani, eu também odeio pessoas que fazem isso, muitas são enganadas ( eu tbm) agora tem gente que nãoooo quer parto normal e mente... triste

    ResponderExcluir
  4. Meu deus, esses dias estava pensando exatamente isso. Sou contra radicalismos tambem, acho que cada um sabe o que quer e o que é melhor pra si e tem que assumir o que pensa. Eu ja vi gente que é a favor de cesaria mas nao assume pq tem vergonha...vai saber né? Assume o que pensa e pronto.
    Cada dia que passo me admiro mais e mais com voce.

    Bjss

    ResponderExcluir