quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Uma em quatro mulheres relata maus-tratos durante o parto!!!

Chorando em um hospital, agulhada pelas dores das contrações do parto, mulheres brasileiras ainda têm de ouvir maus-tratos verbais como: "Na hora de fazer não chorou, não chamou a mamãe. Por que tá chorando agora?".

 A informação é da reportagem de Laura Capriglione publicada na edição desta quinta-feira da Folha (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL).

De acordo com o texto, uma em cada quatro mulheres que deram à luz em hospitais públicos ou privados relatou algum tipo de agressão no parto, perpretada por profissionais de saúde que deveriam acolhê-la e zelar por seu bem-estar. São agressões que vão da recusa em oferecer algum alívio para a dor e xingamentos até gritos e tratamentos grosseiros com viés discriminatório.

Os dados integram o estudo "Mulheres brasileiras e gênero nos espaços público e privado", realizado em agosto de 2010 pela Fundação Perseu Abramo e pelo Sesc e divulgado agora. A Folha obteve com exclusividade o capítulo "Violência no Parto", que pela primeira vez quantificou à escala nacional, a partir de entrevistas em 25 unidades da Federação e em 176 municípios, a incidência dos maus-tratos contra parturientes.


Triste verdade, já presenciei esse tipo de abuso em DUAS maternidades públicas de Florianópolis, o Hospital Regional e a Carmela Dutra. Mas como sabemos não é apenas no público que isso acontece, os plantonistas das maternidades particulares estão esquecendo que são pagos para fazer um trabalho decente, respeitando a mulher e suas escolhas.

Eu sinceramente admito que sou pavio curto, se ver ou ouvir um caso assim pode ter certeza que esse médico jamais será recomendado a uma paciente minha, além do mais sou totalmente a favor de processos contra esses ''profissionais'', tanto no público quanto particular.

Mulheres: Escolham bem o obstetra que acompanhará seu pré-natal, busque informações sobre esse profissional, pergunte a outras mulheres, pesquise na INTERNET, até mesmo no ORKUT temos várias comunidades onde mães trocam figurinhas e experiências.
( Comunidades que recomendo: PEDIATRIA RADICAL, GRAVIDEZ PARTO & MATERNIDADE, MÃES DE FLORIANÓPOLIS, APOIO A GESTANTES PARTO NORMAL).

Maridos: Não deixem que elas passem por maus tratos físicos nem psicológicos, vocês podem e devem se impor, são duas vidas nas mãos de um médico(a), e esse atendimento pode criar traumas.

Dica: Sempre, sempre tenham doulas. Se o médico disser que não é a favor da doula, que doula atrapalha etc acredite, ele não é um médico a favor do seu parto. E ele não quer uma doula presente pois ele sabe que ela tem conhecimento suficiente para entender todas as decisões que ele fizer, que ela será sincera com a paciente quanto a necessidade e riscos.

Cristina De Melo
Téc. Enfermagem 
& Doula!

Um comentário:

  1. Oi Cris!!!
    Ótima matéria,até parece que estou escutando as mulheres aqui da minha cidade contando os abusos que passam aqui no Hospital(único e com mais de 40 anos com o mesmo sistema de funcionamento)e com o mesmo médico obstetra!É uma pena ainda ser assim,mais essa é a mais pura realidade!
    Bjussss,té!

    ResponderExcluir