terça-feira, 31 de agosto de 2010

O Fim do choro do bebê!



Eu vi essa reportagem no fantástico, e achei muito interessante, apesar de que eu sempre usei na minha filha por puro instinto. Talvez porque antes de ser mãe eu já havia cuidado de tantos bebês na minha vida, que já estava acostumada com a prática.

E hoje uma amiga virtual mandou o video pelo youtube, e resolvi compartilhar com todas vocês, para quem não sabe ainda, isso tudo é muito útil.

Beijos
Bons sonhos

Cris De Melo
Doula

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Acidente durante cesárea causa morte do bebê!


Ah gente me deparei com uma notícia muito triste hoje, um bebê foi ferido com o bisturi durante a cesárea e faleceu, deixando uma mamãe de 14 aninhos sem o filho, e uma família revoltada. Ocorreu em São Paulo!

A notícia é triste mas serve de alerta, um dos riscos da cesárea é esse, porque o bebê não para de mexer dentro da barriga, e mesmo com cuidados ele pode ser ferido. Eu já conheci casos de bebês que tiveram cortes diversos, como no pé, cabeça etc.

No caso dessa mamãe, foi uma cesárea em hospital publico onde ela não podia escolher o médico, mas vale de alerta a quem pode, escolher muito bem o profissional que vai acompanhar sua gravidez. Se informe, veja se ele é mesmo a favor do pn ou não, procure informações sobre ele na internet, no orkut, pergunta as experiencias de outras grávidas, etc.

Erro médico infelizmente também é uma coisa comum. Deixo aqui meus sinceros pêsames a essa família, e que Deus leve muito conforto para eles, e que essa mamãe tenha muito apoio para superar essa imensa perda.

Link da reportagem: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/790992-bebe-morre-em-sp-apos-ser-ferido-por-bisturi-no-parto-atestado-de-obito-foi-adulterado.shtml

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Vídeo de Parto Domiciliar lindo!!



Como uma boa doula eu não me canso de assistir partos, tanto na vida real quanto no youtube!

Gosto de achar partos humanizados, selecionar e mostrar as minhas pacientes e a todas as mulheres como o parto pode ser um momento incrível, só é preciso respeito e principalmente pela equipe que esta atendendo esse parto!

Quem acompanhou a parturiente do vídeo foi a Midwife Sheila Simms, e vou compartilhar com todas vocês, espero que gostem!!

Cris De Melo
Doula

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

"Eu honro o parto como um ritual de passagem, a celebração da vida!"

Um vídeo muito lindo onde uma parteira chamada Sheila Simms contra como foi a jornada dela até se tornar uma Midwife
( parteira em inglês).


Vale muito a pena assistir, e quem não entende inglês, só o parto do início do vídeo já faz valer a pena. Vou traduzir e postar tudo que ela falou no vídeo!



Olá, eu sou Sheila Simms Watson, parteira de Miami. Parteira tradicional é a missão da minha vida e paixão. Eu honro o parto como um ritual de passagem, a celebração da vida! Uma amiga plantou a semente de parteira.. que foi a semente da mudança da minha vida, em 1980. Eu estava grávida do meu primeiro filho e ela disse, '' Por que você não escolha uma parteira? " Parteira? Eu não sabia nada sobre quem ou o que isso era. Então a minha jornada começou! Peguei um livro na livraria e entrei em contato com um serviço de parteiras no Beth Israel Medical Center in New York City e no dia 29 de março, 1981, eu tive meu primeiro filho com ajuda de parteiras.

Em 1983, a jornada continuou com a parteira atendendo ao parto do meu segundo filho em casa.Ela cuidadosamente e amadamente me apoiou nessa jornada do parto a parteira. Eu me tornei uma educadora perinatal, uma assistente de parto e eventualmente me juntei a um grupo de estudantes de parteiras. Parteiras e obstetrícia fizeram tanto sentido pra mim. É uma tradição tão antiga. Mulheres vem se ajudando, apoiando, ensinando mulheres desde o início dos tempos. Eu realmente vejo a gestação e parto como um processo fundamental e saudável que é normal, uma parte natural da vida da mulher. Obstetrícia se tornou uma missão e paixão na minha vida.

Em 1990, minha jornal me fez mudar da cidade para zona rural de Virginia como aprendiz de parteira. A aprendizagem me dava tudo que eu precisava e queria no momento, treinamento de parteira tradicional. Meu objetivo era ter meu treinamento e voltar a comunidade de New Jersey. Entretanto, eu não retornei. A oportunidade se apresentou para mim e fiquei e comecei a praticar obstetricia na Virnigia. Eu atendi a partos domiliciares no Blue Ridge Mountains of Virginia entre 1991 a 1996.

Em 1996, nossa familia se mudou para o norte da California. Durante esse tempo euu completei o processo e me tornei uma parteira profissional certificada e continuei os partos domiciliares. Em 1999, eu me mudei novamente para o ''estato amigável a parteiras'' da Flórida e em 2001 completei o programa para parteiras em Miami dade College e recebi meu diploma Associate of Science in Midwifery e a licença para praticar partenagem.

Em junho de 2001, eu criei ''Spirit of Life Traditional Midwifery'' , um independente centro de partos domiciliares. Eu sou tão honrada por ser parte de uma tradição maravilhosa da partenagem tradicional, o carinho com as mulheres. Gestação e dar a luz são uns dos momentos mais mágicos e poderosos da vida de uma mulher. Esta na hora de uma grande transformação e mudança. Eu sei que as parteiras fazem a diferença. E como uma parteira, é minha missão e desejo de confidencialmente continuar a carregar essa antiga tradição para o futuro.

http://www.spiritoflifemidwifery.com/

Desvendando Mitos!!

Esse vídeo já rola na net a um bom tempo, mas só ontem adicionei no Orkut e estou fazendo questão de divulgar. Esse vídeo foi feito por estudantes de publicidade, e contam com uma Obstetra e uma Parteira, eu ameiiii.

Recomendo!

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Doula x Médico


Quem imagina que médicos e doulas não se completam, engana-se. O obstetra Alberto Jorge Guimarães garante: é um trabalho muito importante. "A doula minimiza a frieza do ambiente hospitalar e proporciona suporte afetivo e emocional, tornado a experiência mais suave para os novos pais.

Além de apresentar posições confortáveis para o trabalho de parto, formas eficientes de respiração e medidas naturais de alívio das dores, como banhos quentes, massagens, compressas e exercícios de relaxamento", explica o médico.


O trabalho entre médicos e doulas é de parceria.
"Geralmente as doulas começam suas atividades no início do trabalho de parto, ainda na casa da gestante, acompanham até a maternidade. Como parte importante da equipe multidisciplinar, colabora muito com as questões ligadas ao emocional e na execução de técnicas não farmacológicas de alívio", afirma.

Guimarães explica que, antes do parto, a doula orienta o casal a se preparar emocional e fisicamente, comenta os procedimentos comuns, ajuda os novos pais com relação à ansiedade que precede o nascimento do novo membro da família. "Durante o parto, a doula encoraja, acolhe, apresenta opções de movimentos, ajuda à parturiente buscar posições confortáveis para o trabalho e auxilia o novo pai a encontrar seu lugar neste momento tão íntimo e feminino, colaborando e sendo útil", afirma.

"
Já no pós-parto, ela ajuda a mãe fazer um levantamento dos pontos positivos da experiência, orienta na amamentação e nos cuidados com o recém-nascido". De acordo com o médico, estudos internacionais apontam que o acompanhamento de uma doula durante o trabalho de parto reduz em até 60% os pedidos de analgesia, isso por sua disponibilidade de apresentar opções naturais de alívio, o que nem sempre é possível ser feito pela equipe hospitalar.

Mas, atenção: as doulas não realizam qualquer procedimento médico, como exames, coletas, entre outros. "Elas também não avaliam a saúde da parturiente ou do recém-nascido, de forma que não substitui os profissionais especializados na assistência ao parto como obstetra e pediatra, por exemplo", alerta. Se você gostou da ideia e quer trabalhar como doula, Guimarães dá a dica: no Brasil existem cursos regulares para formação de doulas.

"Quem se interessar, pode obter informações sobre cursos e até mesmo encontrar uma doula em sua cidade no site www.doulas.com.br.
Na contratação dos serviços de uma doula é importante observar a empatia e afinidade, pois esta sintonia entre a profissional e o casal grávido criam um clima de cumplicidade durante o parto", finaliza o profissional.

www.partosemmedo.com.br
Reprodução Site Mais Você / Thaís Bronzo
Fonte: http://anamariabraga.globo.com/home/canais/canais-saude.php?id_not=3581

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Exercícios que ajudam o Trabalho de Parto!!


Toda semana mamães me procuram na internet para aprenderem quais exercícios ajudam no parto normal, por isso resolvi postar aqui umas dicas!! Durante a gestação é essencial que a mãe se movimente pois é super saudável, no final da gestação caminhar é ótimo para preparar o a pelve e o colo do útero, mas o fundamental mesmo é durante o trabalho de parto.

Por isso, movimente-se, trabalho de parto é trabalho mesmo!! Durante as contrações procure uma posição confortável e de preferência que ajude o bebê a descer, ex: cócoras, de quatro, e pé apoiada no marido/doula ou parede, de joelhos com ou sem apoio no peito, etc. Peça uma massagem na lombar onde você esta sentindo uma pressão maior, a massagem é com óleo vegetal em movimentos circulares, e a intensidade é você quem manda.



Entre as contrações: dançar rebolando, divirta-se, ria, relaxe, use a bola suíça, peça uma massagem nos ombros para tirar a tensão. E sempre inspire pelo nariz e expire pela boca!
Se quiser deitar de vez em quando, tudo bem, mas é importante ter em mente que exercitar-se durante o TP ajuda e muito. Se as contrações estiverem muito intensas e você estiver com dificuldade para relaxar, vá tomar um banho quentinho, se não tiver uma bola suiça pode sentar numa cadeira, ficar de cócoras, leve o marido junto para te ajudar!

Porque o trabalho é dos dois, e é muito importante o papai participar desse momento que é tão importante pra ele e para a esposa!
E tenha sempre em mente, quanto mais proximas as contrações e mais intensas mais perto está do parto, então se tiver dificuldades com as contrações, lembre-se que já esta no fim e logo seu bebezinho estará aí dando um trabalho diferente!!! rsrsrsrs

Na Foto:
Os papais Leonardo e Cristina, dançando REBOLATION, após 7 cms de dilatação e bebê alto! Aline nasceu depois de 1 hora, em um LINDO parto normal na água!!

Cris De Melo

Téc.Enfermagem & Doula
email: cris.sofia20@hotmail.com
(48) 9168-0506

Pag Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=8893477160853540278

sábado, 14 de agosto de 2010

Para onde vão o xixi e cocô do bebê na barriga da mãe?


Embora o embrião produza uma meleca escura no intestino, não dá para dizer que isso é cocô, afinal o embrião não come, portanto, não produz fezes. Já o xixi é solto livremente na bolsa amniótica (que envolve o embrião). Na verdade, essa urina fetal é o que compõe a maior parte do líquido amniótico e, portanto, é fundamental para o crescimento saudável do bebê.

Mas não pense que ela é parecida com a nossa urina: quase 100% da urina fetal é água. O motivo é simples: o embrião não tem muita sujeira para excretar, primeiro porque não se alimenta como nós e segundo porque os metabólitos (principalmente uréia, sódio e creatinina, que também fazem parte do nosso xixi) são enviados para a mãe, via cordão umbilical, e excretados por ela.

O embrião só consegue urinar a partir da 16ª semana, quando seus rins ficam maduros para filtrar o sangue enviado pela mãe - separando oxigênio, glicose, sais minerais e vitaminas dos tais metabólitos (que não servem para nada). Um pouco mais tarde, por volta da 25ª semana, as células do intestino produzem uma secreção escura, chamada mecônico, que cobre as paredes do intestino para evitar que elas se colem.

Algumas vezes, no final da gravidez, o embrião pode soltar esse mecônio no líquido amniótico, o que pode ser perigoso quando o bebê nascer e der a primeira respirada (na barriga da mãe, todo o oxigênio vem pelo cordão umbilical): se o bebê aspirar o líquido com mecônio, pode contaminar seus pulmões e desenvolver uma pneumonia. Por isso, antes de cortar o cordão, os médicos aspiram o líquido que cobre o nariz e a boca do recém-nascido*.

"Além disso, soltar o mecônio é sinal de que o intestino do embrião está mais vascularizado do que o normal e, por isso, ele pode estar sofrendo*", diz a obstetra e ginecologista Carolina Carvalho, da Unifesp. Se, durante o pré-natal, os médicos constatam que o líquido amniótico está escuro, o parto pode ser antecipado. Nesse caso, eles podem dizer aos pais que "o bebê fez cocô dentro da barriga da mamãe" para facilitar a explicação, mas, que fique claro, isso não é cocô!

*Fonte: Mundo Estranho



*Nota 1: a aspiração de vias aéras não é necessária em todo parto e nem em todo bebê. Geralmente, no parto normal, ao passar pelo canal vaginal, o bebê já tem seu corpinho todo comprimido e aí os líquidos são expelidos. Já na cesárea, como não existe essa compressão, a aspiração é realizada.

*Nota 2: a presença do mecônio nem sempre significa sofrimento fetal. Pode indicar amadurecimento também! Por isso é necessário monitorar mãe e bebê para verificar como estão os batimentos cardíacos do bebê durante o trabalho de parto.


Post retirado do blog da Doula Renata
http://fisiodoula.blogspot.com/ que atende em Campinas/SP

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Yoga durante a Gestação, pode?


Não só pode como ajuda e MUITO!

Durante a gravidez, o corpo da futura mamãe passa por constantes transformações. Além de lidar com novos sentimentos e descobertas, a grávida precisa ainda se adaptar e aprender a lidar com esse novo corpo, ainda que temporário.

Com a prática de yoga durante a gestação, a mulher pode aproveitar todos os benefícios de estar praticando uma atividade física e consegue se ajustar progressivamente ao seu novo corpo. A yoga pré-natal ou yoga para gestantes melhora a disposição da mamãe, ameniza os desconfortos físicos, estimula a criação do vínculo mãe-bebê ao longo dos nove meses e ainda traz benéficos na recuperação pós-parto.

Durante as aulas, a yoga para gestantes trabalha com postura, respiração, relaxamento e meditação, que são elementos da yoga tradicional, mas adaptados para atender as necessidades da gravidez. Além de ajudar a diminuir o estresse e ensinar a relaxar, a yoga para grávidas ajuda a mulher a desenvolver força, flexibilidade e resistência. A atividade prepara a gestante fisicamente dando o condicionamento físico necessário para a hora do parto, mas também a prepara mentalmente e emocionalmente.

fonte: http://www.dicasdemulher.com.br/yoga-para-gestantes/
Na foto: A Gestante Vanessa, futura professora de Yoga, e futura mamãe da Isadora Alana!

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Sobre Doulas no ''Mais Você'' !!!


Hoje passou uma reportagem muito legal sobre o nosso lindo trabalho, foi gravada no GAMA ( grupo de apoio a maternidade ativa) em São Paulo!!!!

Se você não viu, assista!!!!


Toda mulher merece ter uma Doula, e essa figura super importante NÃO substitui a figura paterna. Ao contrário, a Doula é a pessoa que vai ensinar o pai a ser ativo durante o parto!!!

Cris De Melo, Doula, que tem a felicidade de trabalhar com casais maravilhosos com papais super interessados e que trabalham MUITO com a mamãe durante todo o processo!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Você sabe quais os riscos da cesárea para o bebê??


Você provavelmente já ouviu falar que o Brasil foi eleito o país campeão mundial de cesareas: cerca de 35% dos bebês vêm ao mundo através de cesarianas pelo SUS e, no Setor de Saúde Suplementar (Convênio Médico e Hospitais Particulares) cerca de 84% das mulheres passam pelo procedimento cirúrgico.

O que não é nada vitorioso e nem motivo pra comemorar, pois a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é de que apenas 15% dos nascimentos se dêem através da cirurgia.

O aumento das taxas de cesarianas está diretamente relacionado ao índice de mortalidade materna e neonatal. Principalmente se a cesárea for agendada!!!

Quais são os riscos da cesárea para o recém-nascido?
Um deles é o risco de interromper prematuramente a gravidez por erro de cálculo da idade gestacional e aí, com frequencia o bebê nasce prematuro e tem que ficar internado na UTI neonatal apresentando desconforto respiratório, podendo até desenvolver problemas respiratórios para toda a vida, como asma, por exemplo.

O trabalho de parto começa justamente quando os pulmões do bebê enviam um sinal para o corpo da mãe avisando que é a hora certa. Durante o trabalho de parto normal, o bebê ainda passa por transformações hormonais e fisiológicas que também contribuem para o amadurecimento dos pulmões. Além disso, o parto cirúrgico aumenta o risco de infecções, até mesmo pelo tempo em que mãe e bebê tem que ficar internados no hospital durante o período de recuperação.

Existe também o risco de cortes acidentais no bebê durante a cirurgia.
Outro risco a ser considerado é o fato de que a cesárea atrapalha a formação de vínculo mãe e bebê. Sabemos que o bebê está conectado à mãe pelo cordão umbilical e que recebe substâncias da mãe através da placenta. Com a anestesia não seria diferente, mãe e bebê ficam entorpecidos. Em um parto normal, o momento final do parto representa liberação de muitos hormônios e um momento de sensibilidade único, no qual mãe e bebê são capazes de se conhecer até pelo cheiro, afinal, não podemos esquecer que somos mamíferos!

A amamentação também é prejudicada, pois no pós-operatório imediato a mãe é encaminhada para uma sala de recuperação, enquanto o bebê permanece em observação durante algumas horas no berçário. As mulheres costumam optar por não fazerem alojamento conjunto, ou seja, o bebê permanece no berçário para que a mãe possa descansar e, enquanto isso, pode ser que ele seja alimentado com leite artificial na mamadeira e, quando for entregue à mãe, confundirá os bicos e se atrapalhará na hora de sugar o seio.

É bom lembrar que os profissionais que trabalham em prol da humanização do parto e nascimento não são contra cesárea, apenas lutam que para que as cesáreas sejam realizadas apenas quando houver real necessidade. A cesárea necessária é muito bem vinda e salva muitas vidas.

Fonte: Post retirado do blog da minha amiga Doula, Priscila Rezende que atende em São Paulo!
Email para contato: prirezende1@hotmail.com
Blog: http://prisrezendedoula.blogspot.com

Cris De Melo
Doula

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Gêmeos e Agora? Parto Normal ou Cesárea?


Essa é uma dúvida muito comum das mães, gestação gemelar é indicação de cesárea? Não!

O parto normal de gêmeos além de ser possível é também o mais indicado. O ideal é que os dois estejam de cabeça para baixo, o que acontece em 40% dos casos. Nos outros 40%, o número 1 está de cabeça para baixo e o número 2, numa posição diferente. Isso dificulta a realização do parto normal, mas mesmo assim ele pode ser feito porque existem algumas manobras que facilitam o nascimento do segundo bebê.

Claro, que no Brasil onde as taxas de cesárea são absurdamente altas, é raro ouvir alguém falar que pariu gêmeos. Por isso se você esta grávida de gêmeos já pergunte ao seu obstetra se ele acompanha e se é a favor do parto natural, se ele hesitar ou negar acompanhar, procure outro obstetra!

Como se preparar para o parto e a chegada dos bebês?
Frequentanto cursos para casais, ou tendo uma Doula. Não que seja obrigatório um desses, mas pode fazer muita diferença para pais de primeira viagem. Ter uma pessoa que ensine os cuidados, que fique a disposição para tirar dúvidas, auxiliar na amamentação entre outros, é muito importante.

Quais os benefícios de um parto normal para gêmeos?
Os benefícios são os mesmos de partos com feto único. O parto normal é mais seguro tanto para mãe quanto ao bebê, a recuperação é muito mais rápida, a descida do leite é mais fácil, o uso de medicamentos são menores, o pulmão do bebê é preparado para a vida fora do útero, pois ao passar pelo canal vaginal são expelidas as secreções além disso diminui os riscos de hemorragia e infecção hospitalar,entre outros.

Quais os riscos de uma cesárea?
O índice de morte materna em caso de cesárea é 3,5 vezes maior que em parto natural. Isso é um diferencial importantíssimo na hora de decidir qual o método melhor para você. Os riscos são inerentes à própria cirurgia, a começar pela anestesia, em que a possibilidade de uma reação é imprevisível.

Com quanto tempo ocorre o nascimento de Gêmeos?
Cerca de 70% dos nascimentos de gêmeos acontece por volta da 36ª semana. Em 55,5% das gestações de gemelares os bebês nascem antes de 36 semanas. O ideal é que os bebês fiquem o máximo de tempo possível.

E a Amamentação?
A mãe pode amamentar um bebê enquanto o outro dorme, ou pode amamentar os dois ao mesmo tempo, colocando um em cada mama. Se desse modo consegue diminuir as horas que passa dando de mamar e estabelecer um horário para a amamentação, por outro tem de repartir a atenção entre as duas crianças enquanto as alimenta.

Na Foto: A modelo e atriz Fernanda Lima, que teve um parto normal de gêmeos em 2008.
Os gêmeos nasceram com 2,925 kg e 46 cm, e o outro com 49,5 cm e 2,555kg.
Ela é um grande exemplo a ser seguido!!!

( Eu fiz esse post especialmente para uma doulanda grávida de gêmeos, decidida em fazer cesárea! Com o tempo fui trabalhando a cabeça dela, e no fim das contas, ela chegou com 10 cms na maternidade e pariu as gêmeas num parto rápido e fácil = D )

Cris De Melo
Doula

domingo, 8 de agosto de 2010

Como lidar com o ansiedade no final!


É so chegar as 37 semanas que as mamães ficam super ansiosas, e todo mundo pergunta quando que vai nascer, piorando ainda mais. Claro, é importante deixar tudo preparado pois sabemos que o bebê pode nascer antes mas não podemos perder o controle.

Uma gestação fecha em 40 semanas, então se o bebê não nascer antes desse tempo não fique pensando que ele não vai sair mais e que tudo vai dar errado e lembre-se que ele ainda tem duas semanas se quiser. Ele tem o tempo certo para sair, como dizem os antigos ''fruto verde não cai do pé''.

O ideal no final da gestação é relaxar, e muito importante para o casal é curtir os últimos momentos a dois, sair para jantar, pegar um cineminha, namorar e tudo mais que tão cedo não será possível.
E essa questão da intimidade é muito importante pois alguns casais esquecem de fazer tudo isso, e quando o bebê nascem podem ficar deprimidos ( principalmente o papai!).

Quando ficar muito ansiosa tome um banho relaxante, chás são permitidos, além de meditar, Yoga, ouvir músicas calmas, inspirar calmamente pelo nariz e expirar pela boca, dar uma caminhada na praia, tudo isso ajuda o corpo e a mente a relaxar.

Uma massagem feita pelo pai ou até mesmo pela Doula no pré-parto também facilita o relaxamento. Além disso seja sincera com as pessoas mais próximas, é normal a gestante ter medos, dúvidas e não desabafar por vergonha e é importante conversar com alguém.

E anime-se, logo logo seu bebêzinho vai chegar e uma fase excitante da sua vida começará, enquanto isso não acontece continue curtindo os últimos momentos com o barrigão.
Você vai sentir falta!!!

Cris De Melo
Doula

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

O bebê está pélvico.. o que fazer?

Muitas mães enfrentam esse desafio, o bebê pélvico, de repente os planos de parto natural vão água abaixo. É díficil encontrar um obstetra a favor do parto natural ,o parto pélvico é ainda mais difícil. Mas felizmente temos algumas maneiras de tentar reverter isso, e tornar o bebê cefálico, posição ideal para o parto normal.

Porém é importante relembrar que é possível ter um parto vaginal, que isso não é indicação de cesárea e que é possível que o bebê vire nas ultimas semanas ou até mesmo durante o trabalho de parto!! Mas, quem quiser tentar mal não vai fazer!

Bom, o fato da gestante se manter ativa, caminhando, ficando de cócoras, engatinhando, agachamento etc já ajuda.

Bolsa Térmica quente: Deitada do lado esquerdo, entre a barriga e a cama coloque a bolsa quente, assim o bebê pode preferir se virar para o lado quentinho.
Durante o dia prefira ficar mais inclinada para a frente, pode inclusive sentar em uma cadeira com o encosto virado para a frente, entre as pernas. Evite se sentas em sofás que nos convidem para inclinar para trás.

Levantamento pélvico: Vc deita no chão e apóia o bumbum com várias almofadas por alguns minutinhos. Quando já tiver acostumado com essa posição, depois de alguns dias, faça assim, deitada de barriga para cima inspira e eleva o quadril, transferindo o peso para os ombros e cabeça. Fique por algumas respirações e desça o quadril em uma expiração. Repetir 3/4 vezes por dia. Quando o bebê se virar, faça bastante cócoras e relaxe!

Além dessas dicas temos também a moxabustão, acupuntura e a versão externa, feitas por profissionais qualificados.

domingo, 1 de agosto de 2010

A chegada do Bebê!!!!



Trazer o bebê pra casa é ao mesmo tempo maravilhoso e assustador. São muitos os medos, dúvidas, informações, ansiedade e insegurança. Faz parte do papel da Doula ajudar os novos pais a lidarem com tudo isso.




Na maternidade o casal está cercado de profissionais, poorém nem sempre eles passam as informações da maneira correta, falta de atualização na área da saúde é um grande problema. Ao chegar em casa o casal pode ter problemas com a amamentação, banho, como cuidar do umbigo, entender os choros, e ainda lembrar de se cuidarem. Tudo isso pode afetar muito o psicológico, principalmente das mães que sempre estão com maior responsabilidade. Esse post é para tirar dúvidas mais comuns e ajudar:

Amamentação:
Vale a pena insistir, nem todos os bebês nascem sabendo como fazer, e é preciso mais esforço. A pega no mamilo é o fundamental, para isso o bebê precisa estar com o corpo todo virado para o corpo da mãe, contato barriga com barriga, abrindo bem a boca e abocanhando o máximo que der do mamilo da mãe. Se a pega está correta então não ocorrerá fissuras. O colostro e o leite materno alimentam totalmente o bebê e complementos não são necessários. Se a produção de leite não for o suciciente, a mãe precisa se alimentar melhor, descansar mais, bebê mais líquidos e água. Uma mãe estressada, cansada e que se alimenta pouco não produzirá tanto leite. O aleitamento materno exclusivo deve ser até os 6 meses e depois a amamentação deve ser prolongada o máximo de tempo possível ( até 2 anos ou mais). Se for necessário trabalhar antes desse período, o leite materno deve ser dado em um copo, colher ou seringa.

Umbigo:
Muitos pais de primeira viagem tem medo de limpar o umbigo, que o bebê tenha dor, de que não caia, etc. Mas não tem mistério, tudo que é preciso fazer é colocar álcool 70% após cada troca de fralda ou banho, se tiver secreções pode-se limpar com o cotonete sem esfregar. É normal sangrar um pouco, mas a limpeza é fundamental para a boa cicatrização. Faixas e moedas em cima do umbigo são proibidas, até mesmo a frente da fralda deve ser dobrada para que não fique abafando.

Choro:
Entender porque o bebê está chorando no começo é bem dífícil, mas fica fácil se o casal vai por eliminatória. Recém-nascidos choram por : fome, fralda, dor, frio ou calor . Por isso quando o bebê chorar, cheque a fralda e se estiver suja, troque. Ofereça o seio, se ele está quente ou gelado ( frio ou calor).

Cólicas:
Geralmente começam quando o bebê tem mais de 10 dias de vida, e é uma tortura para os pais! Ver o pobre ser indefeso chorando e se contorcendo é de partir o coração. Mas algumas maneiras naturais e simples podem ajudar muito.
Um banho quentinho, massagem na barriguinha, massagem de bicicletinha, contato pele a pele, mamar, banho de balde, etc. Não é aconselhado: chás, remédios, etc.

Nariz congestionado:
Comum nos bebês, principalmente nascidos de cesárea, ao passar pelo canal vaginal as secreções nos pulmões são expelidas e ao nascer de cesárea isso não acontece. Para ajudar o bebê enquanto o organismo também trabalha, basta pingar duas gotinhas de soro fisiologico em cada narina e/ou aspirar com a pera de borracha, vendida em farmácias.

Frio/Calor:
Os pais nunca sabem o quanto de roupa deve-se colocar ou não. Mas é muito simples. È preciso avaliar a temperatura do dia, vista o bebê de maneira confortável, e verifique se o pescoço esta quentinho ou frio. As extremidades são normalmente mais frias. Se o bebê estiver suando é melhor tirar uma peça de roupa.

O sono do bebê:
Outra dúvida comum dos casais, muitos bebês gostam de dormir horas seguidas, porém os pais precisam intervir. Recém-nascidos precisam mamar a cada 3 horas, para evitar hipoglicemia e precisam de estímulo. Por isso não deixe o bebê hibernando.
A posição de dormir é de barriga para cima, lembrando que após cada mamada o bebê precisa ficar 15 minutos apoiado no peito, na vertical, para arrotar. Só então colocado no berço/cama. Cobertas soltas e protetor de berço que evita a ventilação são prejudiciais.

Posts com temas relacionados:
http://crisdoula.blogspot.com/search/label/C%C3%B3lica%20e%20agora
http://crisdoula.blogspot.com/2010/04/aleitamento-materno-poderia-salvar.html
http://crisdoula.blogspot.com/2010/03/banho-de-balde.html
http://crisdoula.blogspot.com/2010/04/fralda-de-pano.html
http://crisdoula.blogspot.com/2010/05/elas-voltaram-as-mamadeiras-de-vidro.html
http://crisdoula.blogspot.com/2010/05/ictericia-o-que-e-e-como-evitar.html
http://crisdoula.blogspot.com/2010/05/cuide-bem-do-umbiguinho.html
http://crisdoula.blogspot.com/2010/06/amamentacao-um-ato-de-amor-ame.html
http://crisdoula.blogspot.com/2010/06/dormir-de-barriga-pra-cima-e-mais.html

Cristina De Melo
Doula!!