quinta-feira, 24 de junho de 2010

O Trabalho de Parto começou... e Agora???


Muitas mães acham que assim que começam as contrações é preciso correr para o hospital, essa idéia também existe por causa das novelas e filmes, mulheres gritando, carros voando e o bebê quase nascendo.

Mas na vida real isso é bem diferente. Raramente uma mulher tem um trabalho de parto tão rápido, e a internação precoce aumenta as chances da mulher cair numa cesárea sem necessidade. As maternidades particulares ( porque as pública não admitem com menos de 4 cms de dilatação), não podem ficar com uma mulher por 12, 24 ou 36 horas em trabalho de parto.

Hora é dinheiro, imagina várias mulheres com partos longos, como terão quartos vagos para as cesáreas agendadas? Por isso muitos médicos dizem que a mulher não dilatou em 4, 6 ou 8 horas e mesmo o bebê estando perfeitamente saudável ele manda a mãe para a sala de cirurgia.

Por isso o ideal é que a mãe fique em CASA o máximo de tempo possível, a melhor hora pra ir para a maternidade é quando as contrações estão de 3 em 3 minutos por 1 hora o que quer dizer que a em 10 minutos a mulher terá 3 contrações.

O trabalho de parto é dividido por fases:
- Latente, Ativa, Transição e Expulsivo. A fase latente é a mais demorada, com contrações leves e com intervalos mais longos ( 15 em 15 minutos), a fase ativa as contrações são mais intensas com intervalos menores ( de 5 em 5 minutos),quando as contrações estão de 3 em 3 significa que a mulher esta no final da fase ativa, início da transição.
Esse é o momento ideal, pois levará no maximo mais 2 ou 3 horas para o bebê nascer.

Mas é seguro? Se a sua gestação é de baixo risco, se o seu exame de streptococos deu negativo, não tem com o que se preocupar.

E se a bolsa rompeu? A bolsa pode romper durante ou antes do trabalho de parto começar, se o líquido esta claro como água, sem um cheiro forte a mulher pode aguardar as contrações se intesificarem antes de ir.
Se esta esverdeado e com cheiro fétido é melhor avisar o obstetra ou ir para a maternidade, pois esse pode ser um sinal de mecônio, e é melhor que tenha acompanhamento profissional durante o processo.

E como ter coragem para esperar? A doula pode ajudar muito nesse momento, ela vai poder ajudar durante todas as fases do trabalho de parto, assim a mulher se sentirá segura e a dilatação acontecerá tranquilamente. Qualquer coisa fora do normal a doula percebe, e pode indicar a ida precoce para a maternidade.

Algumas doulas também são enfermeiras ou trabalham com Enfermeiras Obstetras
( como eu trabalho), assim a dilatação será checada antes de ir para o hospital, a mãe é monitorada em casa assim como o bebê. Mesmo as doulas que trabalham sozinhas possuem treinamento para saber apenas pela atitude da parturiente se a dilatação esta avançada ou não, se vai demorar ou não etc.

Lembre-se, o parto é um processo natural e não médico, em gestações de baixo risco não há necessidade de ir para o hospital precocemente. Ficar em casa além da gestantes de sentir mais a vontade, relaxada, ajuda também a dilatar mais rápido.

Cris De Melo
Téc. Enfermagem
& Doula

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Amamentação sem mistérios!


Amamentar para mim foi uma experiência maravilhosa, era incrível ver a minha filha alimentada apenas com o leite que meu corpo produzia, gordinha e tão saudável. Essa foi a única fonte de alimento dela nos seis primeiros meses.

É um laço lindo, poder amamentar é uma benção e eu ainda não consigo entender como algumas mulheres não aproveitam isso, e criam seus bebês com leites artificiais.
Para uma amamentação bem sucedida é preciso saber algumas coisas:

Preparação dos mamilos:

- Não é mais indicado o uso da bucha vegetal, o melhor é que a mãe exponha os seios ao sol pois ele fortalece os mamilo;
- Não use hidratantes ou sabonetes nos mamilos;
- Não fique espremendo o mamilo durante a gestação;
- Deve-se fazer massagem nos mamilos puxando pra fora, torcendo um pouco para um lado e para o outro;
- Preparar-se psicologicamente lembrando que a amamentação é natural e bela e que não é preciso ter medos. Lembrar que você é capaz;
- Informar-se sobre a posição correta do bebê que é o PRINCIPAL!!!

Desvendando Mitos:

- Não existe LEITE FRACO, se o bebê esta mamando e não está ficando satisfeito é porque está mamando pouco, e não quer dizer que é pouco tempo ou poucas vezes e sim porque não esta mamando corretamente.

- Amamentar não deixa os seios caídos, o que pode fazer o seio cair e/ou diminuir é a gestação, onde você tem um ganho de peso rápido, seus seios crescem rápido e depois voltam ao normal.

Nenhum leite artificial é igual ao leite materno, não se engane.

- Se o pediatra passar leite artificial, argumente, informe-se porque e pesquise depois, veja se é realmente necessário. Os médicos nem sempre sabem o que é melhor para você e seu filho!!!!!!!

- Quando for amamentar vá para um local calmo, tranquilo, onde você se sentia confortável, faça carinho no seu bebê, olhe nos olhos. Tudo isso faz com que você produza mais ocitocina e ajuda na descida do leite.

- É fundamental que a mãe se alimente MUITO BEM no pós-parto, que beba muito liquido, descanse e durma sempre que o bebê dormir. Uma mãe ansiosa, estressada, que não se alimenta bem vai ter dificuldades e vai produzir MENOS leite!!!

- A cada mamada o bebê tem que mamar num seio até o final e não como muitos acham 15 minutos do direito e 15 minutos no esquerdo. O leite materno é dividido em camadas, primeiro a água, depois o leite e por ultimo gordura que é o que alimenta o bebê. Se ele mamar um pouco em cada ele vai mamar apenas água e o leite mais ralo, deixando a gordura de fora. Na próxima mamada, você oferece o outro seio.

Amamentação não tem hora, AMAMENTE EM LIVRE DEMANDA!

Tipos de mamilos, Existem 3 tipos:

- Invertido ( para dentro)
- Plano ( reto)
- Protuso ( para fora)

O invertido e o plano são as principais causas de problemas na amamentação, e é extremamente importante que a mãe traga esse bico para fora ANTES do bebê nascer, caso o contrário ela tem que ter muita paciência e não desistir.

Se a mãe fica nervosa, o bebê tbm fica nervoso e estressada, abre um berreiro porque está com fome e a coisa desanda.Então muita calma nessa hora.

Quem tem mamilo invertido e plano o ideal é que usem durante a gestação a concha de amamentação rígida que vai ajudar a formar o mamilo, e que para amamentar usem o bico de silicone. Quando o bebê mama o bico verdadeiro é puxado para dentro do falso, formando o bico. Logo a mãe vai amamentar sem nenhum outro item.

DVD amamentação sem mistérios, super recomendado comprar:
LIINK DIRETO PARA FAZER PEDIDO: http://www.maternidadeativa.com.br/pedido

Cris De Melo
Mãe Sofia 3 anos
Amamentanda 6 meses exclusivo e prolongada até 1 ano 6 meses.

Téc. Enfermagem
& Doula.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Mitos sobre Parto Normal!!!


Muitas mamães me procuram para tirar dúvidas, e fico pasma com as coisas que ouço. Médicos indicando cesárea por motivos que vão totalmente contra as evidências científicas, sem fundamento algum, por isso estou fazendo esse post.

Indicações de Cesárea mais comuns:

- Bebê grande ( só é considerado um feto grande quando pesa mais de 4,5,geralmente filhos de mães diabéticas);
- Bebê pequeno ( até prematuro nasce de parto normal);
- Pouco líquido ( pode ser motivo para interromper a gestação, por indução do parto e não cesareana);
- Muito líquido ( a mesma coisa do pouco líquido);
- Mãe muito nova ( antigamente as avós pariam com 14, 15 anos.. o que mudou?);
- Mãe acima de 35 anos ( tem a capacidade de parir igual);
- Bacia pequena ( não tem como o médico dizer isso, só podemos considerar uma desproporção céfalo-pélvica após dilatação total);
- Falta de dilatação ANTES do trabalho de parto ( o colo uterino só vai dilatar com contrações efetivas, durante o trabalho de parto);
- Bebê passando do tempo + de 40 semanas ( uma gestação normal pode ir até 42 semanas, e bebê não é bomba relógio);
- Cordão enrolado ( super comum nos bebês, e não tem risco algum);
- Parto demorado ( trabalho de parto por 4, 6 horas. Um parto pode levar 12, 24, 36 horas, o tempo é do bebê, enquanto está tudo bem não tem problema esperar);
- O bebê PODE entrar em "sofrimento fetal" ( pode é uma coisa, está com um ritmo cardícado abaixo do normal é outra coisa.)
- Cesárea anterior ( hoje é conhecido como VBAC, é totalmente possível, a única pessoa que muitas vezes impede é o médico);
- Mãe magra ou gorda ( não faz a mínima diferença);
- Artéria umbilical única ( não faz a mínima diferença);
- Streptococo do tipo B positivo ( profilaxia durante as 4 horas de trabalho de parto, apenas isso);
- Anemia ( é mais arriscado uma cesárea pois a perda de sangue é maior);


Se você quer Parto Normal e ouvir o seu Obstetra falar que não por um desses motivos, procure uma segunda opnião, não deixe o médico te enrolar!!!

Cris De Melo
Téc. Enfermagem

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Doulas, Anjos da guarda das mães na hora do parto!!!


Saiu uma matéria muito bonita na "Bolsa da Mulher" com a participação do Obstetra Dr. Ric Herbert Jones e da Doula Priscila Cavalcanti.
Não resisti e vou postar aqui uma parte e o link da matéria no final:

Na hora do parto, a equipe especializada faz o seu trabalho: o obstetra está preocupado com os aspectos técnicos do procedimento, as enfermeiras cuidam para que nada falte ao médico, o pediatra se envolve com o bebê. Apesar de uma equipe multidisciplinar com vários membros, ninguém está ali especificamente para cuidar do bem estar da mãe que está dando à luz. Aí entra em cena um anjo que pode preencher essa lacuna: a doula.

O ginecologista e obstetra Ricardo Herbert Jones define as doulas de maneira lúdica. "Doulas são amortecedores afetivos. Funcionam para proteger as pacientes das inúmeras provas, dúvidas, angústias às quais ela é submetida durante o nascimento de uma criança. As doulas, como as parturientes, são abençoadas com a dádiva da cumplicidade".

As doulas são acompanhantes de parto. Elas fazem o trabalho de apoio, acolhimento, incentivo e carinho com a parturiente. "Realizam técnicas para ajudar a mulher a lidar com a dor, incentivá-la a assumir as posições que facilitem o parto e fazê-lo o mais próximo possível daquele que ela deseja", explica a doula Priscila Cavalcanti, do Barriga Boa.

Cada profissional pode ter suas especializações. Umas são formadas na área de saúde, outras carregam na bagagem a experiência com filhos e sobrinhos. Algumas utilizam técnicas de massagem e acupuntura ou holísticas como reiki, cromoterapia, musicoterapia. Outras usam conhecimento técnico em fisioterapia, psicologia. Cabe à paciente saber qual delas se encaixa melhor no perfil que procura.

É importante lembrar que, apesar de todo o seu treinamento, a doula não está habilitada a fazer exames ou prescrição de medicamentos. Um alerta: ela não é parteira, médica obstetra, obstetriz ou enfermeira obstetra. "Não realizamos partos, não temos licença profissional para atuar assim, mesmo em partos domiciliares. O foco é o bem-estar da mulher. Acompanhar o nascimento, realizar procedimentos, aparar o bebê, isso é com a equipe obstétrica", esclarece Priscila.

Em diversos países as doulas são imprescindíveis e sua atuação já vem de longa data. Estima-se que só na América do Norte existam 12 mil acompanhantes. No Brasil, a demanda de mulheres e instituições que solicitam esse serviço, ainda que bem menor, vem crescendo. Com a adesão das instituições de saúde aos projetos de parto humanizado, um bom espaço foi aberto. Já não era sem tempo: essa função na assistência ao parto está completando quase uma década no país.

A DOULA E O PAI

A interação da doula com o pai é de extrema importância pois, muitas vezes, ele não sabe como se comportar naquele momento tão especial e nem consegue identificar as necessidades da companheira. Seu papel é ajudar o marido a confortá-la, mostrar os melhores pontos de massagem, sugerir formas de prestar apoio. "Em momento algum a doula ocupa o papel que é do pai. Ela complementa aquela presença tão importante. A doula procura passar confiança, esclarecendo termos técnicos e decisões que a equipe obstétrica venha a tomar, fazendo o pai sentir-se à vontade e participativo durante o trabalho de parto", explica Priscila.

A cumplicidade entre doulas e pais faz do nascimento do bebê algo ainda mais belo. "Tive uma excelente experiência com a doula quando o meu primeiro filho nasceu. Ela me deixou bem tranquilo e me fez ver que eu poderia ajudar de forma bem intensa. Isso me aproximou muito da minha esposa naquele momento. Nosso segundo bebê está a caminho e vamos, novamente, buscar o auxílio de uma profissional", relata o administrador Maurício Lima, de 32 anos.

Continue lendo:http://www.bolsademulher.com/familia/doulas-101467-1.html

Cristina De Melo
Téc. Enfermagem
& Doula!!

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Reportagem com Dr. Marcos Leite sobre Parto Natural!!!


É com muita alegria que posto o link com a reportagem que foi ao ar hoje, no jornal
"Bom dia Santa Catarina". Ele fala sobre os riscos da cesárea, sobre os benefícios do
parto natural, sobre o risco mínimo do parto domiciliar e MUITO mais.

Recomendo a todas!!! Para quem não sabe o Dr. Marcos Leite é um obstetra a favor do Parto Normal Humanizado, que atende aqui em Florianópolis. E é presidente do REHUNA, Rede pela Humanização do Parto e Nascimento.

Se você tem dúvida quanto ao melhor parto pode ter certeza que não terá mais, aliás como o Marcos diz: "Cesárea NÃO é parto, é CIRURGIA!!".



Começa a reportagem com ele no tempo 13:40, mais ou menos na metade do jornal todo!

Cris De Melo,
Téc. Enfermagem
& Doula.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Criança só na cadeirinha!!!!


Segundo a organização Criança Segura, os riscos de morte diminuem em 71% quando as crianças estão em cadeiras de segurança.

Os equipamentos também reduzem em até 69% a necessidade de hospitalização dos pequenos com até quatro anos de idade.

Ainda de acordo com a organização, os acidentes de trânsito são a principal causa de morte entre crianças de um a 14 anos no Brasil.

Em 2006, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, 2.176 crianças morreram vítimas de acidentes de trânsito. Destas, 550 foram vítimas na condição de passageiros.

Os pais deveriam se preocupar com a vida dos filhos e usar a cadeirinha para isso, mas só agora com a LEI é que estão fazendo o que sempre foi o melhor.

Essa comunidade serve para alertar os pais sobre o perigo da criança sem cadeirinha apropriada para idade, assim como o risco das crianças no banco da frente ou sem cinto de segurança.

Na foto: Minha filha Sofia com 3 anos, foi tirada em Abril. Ela sempre anda na cadeirinha e adora!

Minha comunidade no Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=102743672

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Streptococo do tipo B, o que é???


A infecção pelo Streptococcus agalactiae (beta-hemolítico do grupo B) tem sido reconhecida como importante causa de doença perinatal grave, incluindo pneumonia, sepse e sídrome do choque tóxico do recém nascido.

O contato do recém nascido com o agente infectante geralmente ocorre na passagem pelo canal vaginal, durante o parto, já que cerca de 10 a 30% das mulheres saudáveis podem apresentar o microrganismo, normalmente, colonizando transitóriamente o trato genital ou como microbiota residente da região.

Desta maneira, a pesquisa do microrganismo através de cultura em todas as gestantes tem sido recomendada nos EUA desde 1996, o que levou a uma redução de 70% nos casos de infecção.
São realizados dois swabs: um do intróito vaginal (não é necessário colocação de espéculo) e outro retal. O material é colocado em meio de transporte (Amies ou Stuart), onde pode permanecer por até 4 dias em temperatura ambiente ou refrigerado para realização da cultura.

O rastreamento positivo indica profilaxia intra-parto com penicilina. Nos casos de pacientes alérgicos à penicilina, o laboratório deve ser comunicado para que seja realizado teste de susceptibilidade à clindamicina e eritromicina

Seguem as principais recomendações para a pesquisa de Streptococcus agalactiae em gestantes:

• Rastreamento através de cultura para colonização vaginal e retal de todas as gestantes entre 35 e 37 semanas de gestação.
• Profilaxia intra-parto com penicilina nos casos de rastreamento positivo.
• Profilaxia intra-parto também é indicada para casos de bacteriúria por Streptococcus beta-hemolítico do grupo B ou história de doença perinatal pelo agente em gestação prévia.
• Profilaxia não é indicada em mulheres colonizadas, somente nos casos de cesariana planejada, antes do início do trabalho de parto e na ausência de rotura de membranas.

Lembrando que se o exame der positivo isso não é indicação para cesárea, também não existe tratamento pra isso durante a gestação.
O que é necessária é receber profilaxia INTRAPARTO (durante o trabalho de parto), com finalidade de reduzir a incidência de sepse neonatal.

Mulheres que farão cesárea eletiva não precisam receber o antibiótico antes da cirurgia.

Cris De Melo
Téc. Enfermagem & Doula

terça-feira, 1 de junho de 2010

Dormir de barriga pra cima é mais seguro!!!!!


Pesquisando o assunto pela internet buscando informação comprovada para me atualizar, resolvi criar um post. Esse assunto surgiu em junho de 2009
com a campanha " Dormir de barriga pra cima é mais seguro", pesquisando li que na Nova-Zelândia em 1992 já existia uma campanha igual dizendo "Dormir de costas é mais seguro".

Quantas mães foram da época em que os médicos diziam: "Dormir de bruços é a melhor opção e mais segura", depois a historia mudou "Dormir de lado é a posição mais segura" e agora a novidade " Pra cima é mais seguro".
Muitas mães não sabem o que fazer, de lado ou pra cima, qual a melhor maneira de tentar evitar a morte súbita infantil?

Pedi para uma Obstetra minha amiga algum estudo sobre isso, e ela me enviou. Nesse estudo mostra que os casos se morte súbita são mais frequentes em meninos, de até 4 meses, durante o inverno e crianças com mães fumantes durante e após a gestação.
A pior posição para o bebê dormir certamente é de bruços, pois ele respira o gás-carbônico, um ar que não é mais saudável, fora o risco de
se sufocar no travesseiro.

Nesse estudo fala-se também sobre a cama compartilhada, que aumenta o risco, mas apenas de mães fumantes.
Outros estudos já mostravam que as crianças vítimas de SMSI ( sindrome morte subita infantil) possuiam manchas no cerébro, indicando que aquela criança era mais propensa a sindrome.

Segundo estudos o fato da criança dormir de barriga pra cima diminui em 70% o risco de morte súbita, mas só a posição não adianta.
Após a mamada o bebê precisa ficar 15 minutos na vertical no colo, para que arrote e libere o resto de leite.Também é proibido travesseiros altos e fofos assim como excesso de cobertores no berço.

Apesar de ser dificil de aceitar é realmente mais SEGURO!

Cris,
Téc. Enfermagem
& Doula.