quarta-feira, 21 de abril de 2010

Dor... Que Dor????


Quase toda Gestante morre de medo só de pensar na Dor do Parto. Também quem não teria? O exemplos exagerados nas novelas e filmes assustam qualquer um. A desinformação e o medo geram ansiedade e logo a Cesarea é marcada. Sim, o medo da Dor do parto é uma das causas mais comuns para Cesareas Eletivas.

Mas hoje em dia sabemos que não é bem assim. A dor do parto é resultado do medo e tensão que a mulher tem em relação ao Parto. Uma parturiente que tem em mente que as contrações são naturais, que quanto mais frequente e mais intensa elas ficam, mais perto esta do parto. Essa terá menos dor do que uma parturiente desinformada.

Felizmente temos várias maneiras de driblar os desconfortos do trabalho de parto, e maneiras NÃO-FARMACOLÓGICAS. Como exemplo temos: aromaterapia, cromoterapia, massagem,vocalização, banho de imersão ou aspersão, musicaterapia, uso da bola suíça e posições diferentes durante o trabalho de parto.

É fundamental nesse momento o apoio físico e emocional e é aí que entra a Doula.
Muitas mulheres hoje acham a presença da Doula fundamental,já que ela é treinada para lidar com todas essas fases do Trabalho de Parto e Parto.

A Doula não substitui o acompanhante, mas as vezes o acompanhante fica tão nervoso com toda a situação que acaba atrapalhando mais a parturiente do que ajudando.

E a Analgesia Peridural?
Algumas mulheres ainda sim preferem a analgesia, as vezes nem esperam a contração aumentar e já pedem. Uma ou mais medicações são injetadas na coluna, ou em um espaço chamado peridural, ou diretamente no canal vertebral, ou em ambos. A parturiente deve ficar deitada de lado ou sentada e o procedimento de aplicação é rápido e pouco doloroso.

Atualmente são formas práticas, eficazes e relativamente seguras de dar a luz sem dor. Indubitavelmente, são os métodos mais eficazes para aliviar e até eliminar a dor. Quando a técnica utilizada é correta, o bloqueio motor é menor e permite mobilidade, participação da parturiente e puxos eficazes no período expulsivo.

No entanto, há evidências de que os bloqueios regionais aumentam o tempo do primeiro (período de dilatação) e do segundo estágios do parto (período expulsivo), a incidência de distócias de apresentação fetal (a cabecinha do bebê encaixa na bacia de forma errada), o uso de ocitocina e o número de partos instrumentais. Discute-se o fato da utilização da analgesia peridural estar associada a maiores taxas de partos por cesárea, sendo que alguns autores encontraram associação e outros não concordam com essa afirmação. Quando se utiliza a anestesia raquidiana, pode ocorrer dor de cabeça após. Complicações graves podem ocorrer, mas são extremamente raras.

Uma coisa ninguém discute, quando a mãe vê seu filho tudo o que passou é esquecido!!!

Fonte: ( Trechos foram retirados do site ) http://www.amigasdoparto.org.br/2007/index.php?Itemid=75&id=252&option=com_content&task=view

Nenhum comentário:

Postar um comentário