domingo, 25 de abril de 2010

O que é Pródromo?



















O trabalho de parto é antecedido por um período preparatório denominado de pré-parto, período prodrômico (ou pródromo de trabalho de parto) ou período premonitório. Nesta etapa vários sinais estão presentes, demonstrando que o trabalho de parto e o nascimento do bebê se aproximam.

O período premonitório do parto ou período pré-parto é caracterizado pela presença de contrações, por vezes dolorosas, que ocorrem em intervalos e intensidade irregulares, não apresentando ritmo. Essas contrações não são efetivas para dilatar o colo uterino e constituem o chamado “falso trabalho de parto”, onde, embora haja contrações, não há alteração do colo do útero (ou seja, não há a dilatação do mesmo com progressão para o nascimento do bebê).

Nesta fase há a descida do fundo uterino (a barriga materna fica mais baixa), decorrente do encaixamento da cabeça do bebê na pelve materna. Essa descida da cabeça do bebê acarreta no aumento de dores lombares e dores nas articulações dos ossos do quadril da gestante. As vezes a única manifestação é uma sensação de “peso” na região supra-púbica (na região da bexiga).

Há ainda nesta fase, uma secreção exacerbada de muco pelas glândulas presentes no colo uterino, sendo eliminada uma secreção mucosa pela vagina, acompanhada ou não de sangue em pequena quantidade. Este sinal é chamado de perda de tampão mucoso.

O colo uterino fica mais amolecido e progressivamente mais curto ao toque vaginal (processo chamado de amadurecimento do colo).
Próximo ao final da gestação, as contrações se tornam mais freqüentes e intensas e a regularidade associada à dilatação do colo uterino caracterizam o trabalho de parto que se inicia.

Não é possível dizer o exato momento em que há a transição do período pré-parto para o trabalho de parto, pois o período premonitório do parto pode anteceder o parto em dias; e esta transição ocorre normalmente de forma gradual e quase insensível.

Sinais que podem aparecer e significam que o parto está próximo:
-Perda do Tampão Mucoso;
-Barriga mais baixa e facilidade para respirar;
-Intestino funcionando com maior frequência;
-Secreções vaginais aumentam;
-Dor lombar;
-Vômitos.

Fonte: http://www.cpdt.com.br/sys/interna.asp?id_secao=4&id_noticia=465

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Dor... Que Dor????


Quase toda Gestante morre de medo só de pensar na Dor do Parto. Também quem não teria? O exemplos exagerados nas novelas e filmes assustam qualquer um. A desinformação e o medo geram ansiedade e logo a Cesarea é marcada. Sim, o medo da Dor do parto é uma das causas mais comuns para Cesareas Eletivas.

Mas hoje em dia sabemos que não é bem assim. A dor do parto é resultado do medo e tensão que a mulher tem em relação ao Parto. Uma parturiente que tem em mente que as contrações são naturais, que quanto mais frequente e mais intensa elas ficam, mais perto esta do parto. Essa terá menos dor do que uma parturiente desinformada.

Felizmente temos várias maneiras de driblar os desconfortos do trabalho de parto, e maneiras NÃO-FARMACOLÓGICAS. Como exemplo temos: aromaterapia, cromoterapia, massagem,vocalização, banho de imersão ou aspersão, musicaterapia, uso da bola suíça e posições diferentes durante o trabalho de parto.

É fundamental nesse momento o apoio físico e emocional e é aí que entra a Doula.
Muitas mulheres hoje acham a presença da Doula fundamental,já que ela é treinada para lidar com todas essas fases do Trabalho de Parto e Parto.

A Doula não substitui o acompanhante, mas as vezes o acompanhante fica tão nervoso com toda a situação que acaba atrapalhando mais a parturiente do que ajudando.

E a Analgesia Peridural?
Algumas mulheres ainda sim preferem a analgesia, as vezes nem esperam a contração aumentar e já pedem. Uma ou mais medicações são injetadas na coluna, ou em um espaço chamado peridural, ou diretamente no canal vertebral, ou em ambos. A parturiente deve ficar deitada de lado ou sentada e o procedimento de aplicação é rápido e pouco doloroso.

Atualmente são formas práticas, eficazes e relativamente seguras de dar a luz sem dor. Indubitavelmente, são os métodos mais eficazes para aliviar e até eliminar a dor. Quando a técnica utilizada é correta, o bloqueio motor é menor e permite mobilidade, participação da parturiente e puxos eficazes no período expulsivo.

No entanto, há evidências de que os bloqueios regionais aumentam o tempo do primeiro (período de dilatação) e do segundo estágios do parto (período expulsivo), a incidência de distócias de apresentação fetal (a cabecinha do bebê encaixa na bacia de forma errada), o uso de ocitocina e o número de partos instrumentais. Discute-se o fato da utilização da analgesia peridural estar associada a maiores taxas de partos por cesárea, sendo que alguns autores encontraram associação e outros não concordam com essa afirmação. Quando se utiliza a anestesia raquidiana, pode ocorrer dor de cabeça após. Complicações graves podem ocorrer, mas são extremamente raras.

Uma coisa ninguém discute, quando a mãe vê seu filho tudo o que passou é esquecido!!!

Fonte: ( Trechos foram retirados do site ) http://www.amigasdoparto.org.br/2007/index.php?Itemid=75&id=252&option=com_content&task=view

domingo, 18 de abril de 2010

Bem-Vindo Caio!!!


É com muita alegria que anuncio o nascimento do Caio, filho da Polly e Antônio.
A Polly era uma gestante que entrou na minha comunidade do orkut "Apoio a Gestantes de Parto Normal" procurando ajuda para encontrar um médico a favor do Parto Normal.

Com muito carinho consegui indica-la um médico. Os meses foram passando, a barriguinha crescendo, e mais algumas dúvidas. Poder ajudar alguém mesmo que pela internet, ultrapassando as barreiras da distância, é incrível.

Com quase 40 semanas de gestação ela estava preocupada e mais uma vez os mitos foram desvendados.

Polly Pariu de Parto Normal, mamãe e bebê passam bem. E eu fico muito feliz de ter sido Abençoada por poder participar desse momento!!!

Desejo a essa bela família muita saúde, leite e felicidade!!

Com Carinho, Cris, Doula mesmo a distância!!!

Os Benefícios do Trabalho de Parto!


Costumamos ler e ouvir sobre eles, mas você sabe quais são os benefícios do Trabalho de Parto?

O Trabalho de Parto é a única certeza que o médico tem que o bebê esta pronto para nascer, pois é através da maturidade fetal que o TP é desencadeado.

Quando o feto está "pronto",inicia-se o trabalho de parto. Os hormônios produzidos durante o TP preparam o feto para o nascimento,sinalizam que ele vai, em breve, precisar expandir os pulmões.

Por isso o trabalho de parto é tão importante para o bebê, pois ele participa dessa processo tao importante para sobreviver fora do útero.

Se a mulher passa por uma cesária sem entrar em TP, o bebe é tirado sem esse preparo ocasionando na maioria das vezes o ''Desconforto respiratorio'', que é causa número 1 de admissões em UTI neonatal.

Durante o trabalho de parto também o Cortisol ( que ajuda a maturar o pulmão fetal) e são liberados hormônios como Ocitocina que além de fazer com que o útero contraia, é chamado '' hormônio do amor'', que prepara a mãe para o nascimento do filho.

Durante o TP tbm é liberada as Endorfinas, que é o hormônio que reduz a dor e a Prolactina responsavel pela produção de leite materno.

E por fim, quando nasce de via vaginal, ao passar pelo canal o bebe recebe uma ''massagem'' que ajuda a eliminar as secreções nos pulmões, facilitando ainda mais a respiração.

Esse processo também é importante para a gestante para que o emocional e o físico assimilem que todo o processo de gestação que durou tanto tempo esta acabando.

Estudos mostram que as mães que passam pelo processo do TP tem menos chances de sofrer de depressão pós-parto.

Cris De Melo,
Téc. Enfermagem & Doula
cris.sofia20@hotmail.com / Tel: (48) 9168-0506

terça-feira, 13 de abril de 2010

Aleitamento Materno poderia salvar cerca de 900 bebês por ano nos EUA.




Pesquisa mostra que se 90% das americanas amamentassem exclusivamente seus filhos durante os 6 primeiros meses, cerca de 900 bebês poderiam ser salvos por ano!


As vidas de cerca de 900 bebês poderiam ser salvos todo ano, junto com bilhões de dólares, se 90% das mulheres americanas amamentassem seus filhos nos primeiros 6 meses de vida.

Esses resultados iniciais, publicados na internet na segunda feira no "journal Pediatrics"( jornal pediátrico), são apenas uma estimativa. Mas vários experts que revisaram e analisaram disseram que os métodos e conclusões parecem boas.

"O sistema de saúde precisa estar ciente de que a amamentação faz uma profunda diferença", diz Dr. Ruth Lawrence, que lidera a Academia Americana de Pediatria, a seção de amamentação.

Nos EUA 70% das mulheres começam a amamentar seus bebês. Com 3 meses, apenas 33% continuaram amamentando exclusivamente e com 6 meses apenas 14% das mulheres amamentam seus filhos exclusivamente.

" Existem inúmeros motivos por isso: falta de apoio no local de trabalho, o marketing agressivo de fórmulas infantis. E também pode ser fisicamente desgastante e doloroso, no momento." disse Dra. Jennier Ashton

A reportagem é enorme e esta em Inglês, quem quiser terminar de ler esse é o link:
http://www.cbsnews.com/stories/2010/04/05/health/main6364292.shtml


A organização mundial de saúde adverte: a amamentação deve ser exclusiva ate os 6 meses e depois ate 2 anos ou mais.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Cesárea Segura??


Muitos profissionais insistem que, no caso do Brasil, a cesárea é tão segura quanto o parto normal, quando estudos mostram risco de morte quase 11 vezes maior em comparação às que fizeram parto vaginal.

Há casos em que o doutor chega a dizer que não há diferença entre os dois tipos de parto, ambos têm vantagens e desvantagens, quando a evidência científica é a de que o parto normal é o melhor para mãe e bebê. Bebês nascidos por meio de cesárea têm risco quase 5 vezes maior de precisar ficar na UTI ou na semi-intensiva.

Para os nascidos a termo, o risco de desenvolver desconforto respiratório é 7 vezes maior nos nascidos de cesáreas programadas do que nos nascidos de parto normal, porque o trabalho de parto serve para terminar o amadurecimento do bebê, principalmente dos sistemas respiratório, imunológico e nervoso.

Muito disso ocorre por outro fator cultural, que é a confiança quase cega nos médicos, que faz muitas mulheres só se basearem no que seu obstetra lhes diz.
Quando perguntamos sobre como convencer a mulher de que o parto normal deve ser a primeira opção, o dr. Kuhn, pai de Renata, Clara e Otávio, aponta que esse não é o caminho para reverter o alto número de cesáreas.

“A palavra não é convencimento. A mulher precisa se informar adequadamente. Mas aí vem a comodidade tanto dela quanto do médico. Para o Ministério da Saúde é interessante investir no parto normal, pois, além de ser o melhor para o bebê e para a mulher, é mais barato e não apresenta os riscos de uma cirurgia. Os médicos não explicam sobre possíveis hemorragias e infecções, pois não é conveniente”. Ou seja: muitos médicos, no mínimo, omitem informações importantes.

http://partodoprincipio.blogspot.com/

domingo, 4 de abril de 2010

Massagem Perineal, Como fazer e Porque!!


Qual o Objetivo? Reduzir as lacerações tem sido alvo de muitos estudos. Vários estudos descobriram que a massagem do períneo nas últimas semanas de gravidez pode reduzir as lacerações durante o parto. Esta massagem – feita com dois dedos que irão ajudar a dar maior flexibilidade aos tecidos – é feita por si própria, em casa, uma ou duas vezes por dia, nas últimas 4 a 6 semanas de gravidez.

Como fazer?? - Encontre um lugar onde se possa sentar e estar sozinha, ou com seu parceiro, ininterruptamente.

- Tente ver seu períneo com ajuda de um espelho, note como ele é. Nem sempre será necessário um espelho para essa tarefa;
- Pode usar compressas com toalhas mornas no períneo por 10 minutos, ou tomar um banho morno (de banheira, assento, ou chuveiro, em último caso), caso precise relaxar;
- Lave as suas mãos e peça ao seu companheiro para fazê-lo também, caso ele a ajude nas massagens;
- Lubrifique seus dedos polegares e o períneo. Você pode usar muitos tipos de lubrificantes: Gel Lubrificante Íntimo (encontrado nos hipermercados e farmácias), KY Gel®, óleo de vitamina E, óleo vegetal puro (óleo de semente de uva é uma boa indicação!);
- Coloque seus dedos polegares um pouco dentro de sua vagina, empurre-os para baixo e pressione para os lados. Deve sentir um leve estiramento, formigamento, ou uma leve queimação, mas nada que seja dolorido. Mantenha esse movimento por 2 minutos ou até que região fique levemente adormecida;
- Se sofreu uma episiotomia ou lacerações prévias, preste especial atenção ao tecido de cicatrização que, geralmente, não é tão elástico e é onde a massagem deve ser feita mais intensamente, com cuidado;
- Massage em volta e por dentro da região mais externa da vagina e seus tecidos, onde ela se abre, e mantenha sempre a lubrificação;
- Use seus polegares para puxar um pouco os tecidos, forçando-os a abrirem-se, imagine como seria se a cabeça do seu bebé estivesse fazendo esse movimento na hora do parto.

ATENÇÃO:

1. Evite mexer no ou abrir o orifício da uretra (logo acima da vagina) para evitar infecções urinárias.
2. Não faça massagens no períneo se você tiver lesões ativas de herpes (isso pode causar o aumento da área das lesões).
3. Pode começar essas massagens em torno da 34a semana de gravidez. Se já passou da 34a semana e ainda não começou, não desista! A massagem pode trazer-lhe benefícios ainda assim. Pode fazê-la pelo menos uma vez por dia.
4. Lembre-se que a massagem sozinha não vai proteger seu períneo, mas ela é parte de um grande esquema. Escolher uma posição vertical para parir (de cócoras, de joelhos, sentada etc.) favorece a distribuição de pressão no períneo. Se escolher parir deitada de lado, isso também reduz muito a pressão no períneo. Deitada de costas, totalmente na horizontal, é a posição para parir em que há mais chances de se provocar lacerações e necessidade de episiotomia.
Fonte: http://pregnancy.about.com/library/weekly/aa103199.htm

Cris de Melo, Doula, (48) 9168-0506/ cris.sofia20@hotmail.com

O processo do Parto!!

Resolvi postar esse vídeo que é perfeito e mostra as manobras que o feto realiza no útero, o colo dilatando e o momento expulsivo. Algo incrível e mágico, completamente natural e saudável!!!

Ministério da Saúde Adverte: Doula faz Bem a Saúde!


Parto e Puerpério - Assistência Humanizada à Mulher (Livro do Ministério da Saúde - 2001 - páginas 64 a 67)

Atribuições da acompanhante treinada


A acompanhante treinada, além do apoio emocional, deve fornecer informações a parturiente sobre todo o desenrolar do trabalho de parto e parto, intervenções e procedimentos necessários, para que a mulher possa participar de fato das decisões acerca das condutas a serem tomadas durante este período.

Durante o trabaho de parto e parto, a acompanhante: Orienta a mulher a assumir a posição que mais lhe agrade durante as contrações: Favorece a manutenção de um ambiente tranqüilo e acolhedor, com silêncio e privacidade; Auxilia na utilização de técnicas respiratórias, massagens e banhos mornos;

Orienta a mulher sobre métodos para alívio da dor que podem ser utilizados, se necessários; Estimula a participação do marido ou companheiro em todo o processo; Apoia e orienta a mulher durante todo o período expulsivo, incluindo a possibilidade da liberdade de escolha quanto à posição a ser adotada.

Apoio durante o Parto(Publicação da Organização Mundial da Saúde)

MATERNIDADE SEGURA

Assistência ao Parto Normal: Apoio durante o Parto

Relatos e estudos controlados randomizados sobre o apoio por uma única pessoa durante o parto, uma "doula", parteira ou enfermeira, mostraram que o apoio físico e empático contíno durante o trabalho de parto apresentava muitos benefícios, incluindo um trabalho de parto mais curto, um volume significativamente menor de medicações e analgesia epidural, menos escores de Apgar abaixo de 7 e menos partos operatórios (Klaus et al 1986, Hodnett e Osborn 1989, Hemminki et al 1990, Horfmeyr et al 1991).

Este documento identifica uma "doula" como uma prestadora de serviços que recebeu um treinamento básico sobre parto e que está familiarizada com uma ampla variedade de procedimentos de assistência. Fornece apoio emocional, consistindo de elogios, reafirmação, medidas para aumentar o conforto materno, contato físico, como friccionar as costas da parturiente e segurar suas mãos, explicações sobre o que está acontecendo durante o trabalho de parto e uma presença amiga constante.

Entretanto, o apoio reconfortante constante de uma pessoa envolvida diminuiu significativamente a ansiedade e a sensação de ter tido um parto difícil, numa avaliação feita por puérperas 24 horas após o parto. Também teve um efeito positivo sobre o número de mulhres que continuavam a amamentar 6 semanas após o parto.Uma parturiente deve ser acompanhada pelas pessoas em quem confia e com quem se sinta à vontade seu parceiro, sua melhor amiga, uma doula ou uma enfermeira-parteira.

Em alguns países em desenvolvimento, esta lista também poderia incluir a parteira leiga. Em geral, serão pessoas que conheceu durante sua gestação.
Os profissionais que prestam assistência obstétrica devem estar familiarizados tanto com suas tarefas médicas quanto com as de apoio, e ser capazes de realizar ambas com competência e delicadeza. Uma das tarefas de apio do prestador de serviços é dar à mulher todas as informações e explicações que esta deseje e necessite.

O texto é enormeeee, coloquei até aí porque já deu para entender como a Doula é importante e como faz a diferença!!!

Cris De Melo, Doula, (48) 9168-0506, cris.sofia20@hotmail.com

sábado, 3 de abril de 2010

Ahhhh Estrias Nãooo!!


Poisé! A Gestante esta radiante, feliz, com aquele barrigão incrível,e num certo dia sem aviso ELA aparece... Aquela linha roxa perdida naquela barriga linda.
Mas Por quê? E por quê agora???

O bom é saber que tem como reduzir ou até prevenir o aparecimento das estrias, desde que haja cuidados na pele antes, durante e depois da gestação.

As estrias são cicatrizes ocasionadas pelo rompimento das fibras elásticas e de colágeno geradas por estiramento excessivo ou rápido da pele e por mudanças hormonais que acontecem durante a gravidez.

A pele tem que estar hidratada para que as fibras de colágeno e elastina agüentem a pressão que o crescimento da pele faz durante a gravidez, principalmente na região da barriga e seios. Produtos que contenham em sua fórmula uréia (máximo 3%), lactato de amônia, colágeno, elastina, vitamina E e óleos vegetais são recomendados antes da gravidez e durante a gravidez.

Mulheres com predisposição ao aparecimento das estrias podem diminuir o rompimento das fibras, mas dificilmente irá evitá-las totalmente. As que não têm esse histórico podem até se privar da convivência com essas cicatrizes.

Durante a gravidez, o ideal é engordar somente o recomendado, isto é, até 12 quilos durante os nove meses para evitar o excessivo estiramento da pele. O uso dos hidrantes deve continuar ou ser começado assim que souber da gravidez pelo menos duas vezes por dia, de manhã e à noite.

Se mesmo com todos os cuidados elas aparecerem não se abale, a aparência ficará melhor com o tempo, e depois que seu bebê lindo nasce você vê que TUDO valeu a pena!

Cris. Téc Enfermagem & Doula, Email: Cris.sofia20@hotmail.com

Fralda de Pano!!!




Se você pensou logo "Isso já é coisa da minha bisavó"
, deve rever seus conceitos. As fraldas de pano voltaram com força total, mas ainda mais lindas, estilosas e fáceis de lavar! As fraldas plásticas além de serem caras, fazem um mal danado para o meio ambiente.

Utilizar fraldas de pano reutilizáveis não é só uma questão de proteger o ambiente,
mas também de fazer bem aos nosso filhos,não é necessário embrulhá-los em plástico.
Uma fralda de pano reutilizável consiste num núcleo absorvente e uma capa que evite que a humidade passe para a roupa. As capas podem ser feitas de malha polar, microfibra ou lã.

Pesquise, pense e compre!
A Natureza e o seu bebê Agradecem!!!


Links Recomendados: http://www.babyslings.com.br/fraldas_de_pano_web.htm
http://www.fraldabonita.com.br/

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Será que a Lua tem mesmo influência no Parto??



Já ouvimos falar várias vezes, que a Lua influencia no parto, no crescimento dos cabelos, no fortalecimento das unhas, etc. Mas será que é verdade mesmo? Será que a Lua tem alguma influencia no trabalho de parto? Diversos estudos feitos dizem que não,e muitos médicos afirmam a mesma coisa, porém outros médicos dizem que acreditam nas mulheres que acreditam na Lua... e na força das crenças e das emoções sobre o intrincado balanço hormonal envolvido no desencadeamento do trabalho de parto.

Então, o fato da gestante acreditar que a Lua tem influência acaba influenciando mesmo?? Bom, não custa acreditar!!!

Quando é a próxima virada de Lua?? :)
Cris, Doula, Téc. Enfermagem. Email: Cris.sofia20@hotmail.com Tel: (48) 9168-0506

Massagem no Trabalho de Parto!!


Ahhh vamos combinar, massagem é uma coisa muito boa não? Então, imagina receber massagem durante o trabalho de parto, aliviando a tensão, ajudando a relaxar e diminuindo as dores... É tudo de bom né? Por isso, vamos falar um pouquinho sobre isso, que é parte do meu trabalho como Doula!

Os impulsos nervosos gerados pela massagem em determinadas regiões do corpo vão competir com as mensagens de dor que estão sendo enviadas ao cérebro, reduzindo as sensações de dor.

São impulsos nervosos diferentes, competindo pelos mesmos receptores do cérebro. Essa massagem deve ser aplicada nos pés e mãos e funcionam como a técnica de contra-pressão (feita nas costas, durante a contração, na altura da borda superior da bacia).

Massagens aplicadas nos ombros e pescoço são melhores entre as contrações e ajudam a relaxar. Já a massagem suave na barriga, braços e pernas dá a sensação de apoio físico e companheirismo. Todas têm grande valor.

Se você é Gestante procure uma Doula próxima de você, e aproveite! Essa fase de Gestação e Parto é um direito da Mãe também, e devemos pensar no nosso bem estar!!

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Banho de Balde??


Quem ainda não ouvir falar sobre o famoso 'Banho de Balde'? Surgiu a alguns anos com a inovação da 'Mommy Tub',é uma opção diferente para o banho do bebê, porque oferece uma oportunidade de relaxamento através da imersão na água, a exemplo dos banhos de ofurô.

A água quente (36 a 37ºC) é relaxante, analgésica e organizadora, imita o ambiente intra-uterino e permite melhora nos estados de agitação, insônia e cólica dos bebês.

Os banhos podem ser dados desde o primeiro dia de vida até quando o bebê ainda couber (4 a 6 meses de idade). Não é necessário o uso de outro tipo de banheira. Nas primeiras semanas é preciso ajuda para que um adulto segure o bebê e o outro passe sabonete. Depois de um tempo o bebê fica mais firme e uma só pessoa pode dar conta.

Se for de preferência dos pais, o bebê pode usar o ofurô só para relaxar, depois de um banho na banheira tradicional. O bebê pode ser banhado embrulhado (se for só para relaxamento) ou nu (se for feita a higiene também).

O banho é muito simples e pode ser feito em um balde normal, desde que o mesmo tenha alça reforçada, borda larga e capacidade para 15 a 18 litros de água. Aqueles de plásticos mais duros e resistentes.

Como fazer do banho de balde um Ofurô?
Primeiro você embrulha o bebê como um charutinho, e depois o coloca no balde, os ouvidos podem ficar submersos sem problemas, só não pode descuidar e deixar o rosto ficar coberto.

Cris De Melo
Doula!